Cruzeiro com o Organizado – 2° Dia!

Que difícil sair da cama tendo dormido tão tarde! Colocamos o celular em soneca por quase uma hora, o sono estava tremendo! E quando resolvemos sair da cama, foi uma correria, pois tínhamos pouco tempo até encerrar o café da manhã naquele restaurante chique. No final das contas, os garçons estavam quase nos tocando para fora, pois fomos os últimos a terminar de comer e eles já estavam arrumando as demais mesas para o almoço.

Saindo de lá fomos direto para o SPA agendar o horário daquela massagem gratuita que tínhamos direito. O plano era marcar para aquele mesmo dia, por volta das 16h, mas como estava sem disponibilidade, agendamos para o dia seguinte às 10h. Depois voltamos para o quarto, colocamos nossa roupa de banho e fomos curtir a jacuzzi! Nos deram chaves individuais para guardarmos nossas roupas no vestiário (separadamente o feminino do masculino) e então seguimos só com a toalha (e a chave) em mãos para a jacuzzi. Ahh que delícia de manhã. 🤤

Após quase meia hora dentro daquela água maravilhosa com aquela vista para o mar incrível, resolvemos curtir a sauna! Lá ficamos menos tempo, até que entramos juntos (escondidos) no mesmo chuveiro! 😈 Não tomamos banho pelados, já que ali não era tão privativo e havia outros chuveiros ao lado, separados apenas por uma parede, mas ainda assim tentei tará-lo durante o banho. 😈 E ele todo tímido se conteve por receio que outras pessoas nos flagrassem rs.

Quando saímos de lá, era hora do almoço e lá fomos nós voltar naquele restaurante no qual tomamos o café da manhã. O Organizado pediu uma refeição do cardápio, já eu me aventurei nas opções do self-service mesmo. E ao retornar para a mesa, pedi ao garçom que me trouxesse um belo energético, na tentativa de combater aquele sono que teimava em se apoderar de mim (e funcionou 🙏🏻).

Dali a pouco, acomodaram uma família na mesma mesa que a gente. Eram três pessoas: a mãe, o marido e o filho (que também já era adulto). E de repente, a mãe começou a puxar papo comigo.

– Nossa, como você consegue tomar isso? – Ela perguntou.

– Ahh, só assim pra ver se esse sono passa rs. – Respondi simpática.

– Tentei uma vez e embrulhou o meu estômago. – Ela continuou.

E assim o papo engrenou. Percebi que ela gostava de conversar. Quando um assunto morria, ela já partia para outro, animada e imbatível. Logo o marido também entrou na conversa e mesmo tendo acabado de conhecê-los, em menos de dez minutos descobrimos que ele já havia feito redução de estômago há 17 anos e várias cirurgias plásticas posteriormente. Detalhes que olhando para ele ninguém imaginaria. Eram brasileiros, também residiam em São Paulo e veteranos em cruzeiros.

Analisando-os, avaliei que o pai se achava, a mãe era um tanto carente de atenção, e o filho mais parceiro do pai do que da mãe. Falavam de outras viagens que já fizeram e pelo que narravam os dois rapazes sempre davam perdido nela, que muitas vezes ficava sozinha. Ela dizia não ser consumista (raridade uma mulher que não gosta de comprar) e por conta disso muitas vezes ficava de fora dos passeios deles.

Certo momento, o pai começou a dar indicações de lugares para eu e o Organizado irmos quando estivéssemos em Buenos Aires, sem saber que já havíamos fechado um passeio rs. Deixamos que ele continuasse com as suas peripécias, para só no final revelarmos o que já tínhamos planejado. E após a sobremesa, se despediram, nos deixando a sós. Muito interessante conversar com eles. Foi nossa primeira interação com estranhos a bordo. 😊

Após o almoço fomos explorar outros andares do navio, enquanto a comida fazia digestão. Estávamos no quinto andar, então o exploramos por completo, depois o sexto, e quando chegamos ao sétimo (onde ficava a “Photo Gallery“), aproveitamos para olhar as nossas fotos que já estavam prontas. Foi difícil não ficar com todas, mas me contive por conta do valor rs. Adquirimos algumas (inclusive uma que eles tiraram assim que entramos no navio) e seguimos passeando.

 

Quando retornamos para a suíte, e guardamos as fotos, resolvemos curtir uma piscina. Pegamos nossas toalhas e fomos empolgados para uma que era coberta (no navio haviam duas piscinas), no qual uma plaquinha em frente à ela, informava que era aquecida. Eu até pensei em checar a temperatura da água com a mão primeiro, mas desisti considerando que poderia confiar naquela informação. Então tivemos todo o trabalho de tirar nossas roupas e chinelo, e só quando coloquei meu pé dentro da água, me dei conta que aquela plaquinha era a maior enganação. A água estava mega fria, o que nos acovardou, apesar do dia estar quente.

Tentamos voltar para a jacuzzi, mas naquele horário todas (exatamente todas) estavam cheias de gente. Comecei a ficar frustrada, mas daí o Organizado teve uma ideia fantástica, ao recordar que tínhamos uma banheira (totalmente privativa) na nossa suíte! 😈 Minha dose de ânimo foi suprida no mesmo minuto e então voltamos rapidamente para o nosso cafofo! E enquanto a banheira enchia, minha atenção foi sugada para aquele pôr do sol maravilhoso na nossa varanda e resolvi aproveitá-lo para tirar umas fotinhos… Gostaram?? 😛

Aquele momento na banheira foi mesmo único. Ficamos um de frente para o outro curtindo aquela água morna sobre os nossos corpos, até que nos beijamos e apesar de novamente estarmos com o tempo apertado (a essa altura já faltava pouco para o jantar), ele fez questão que eu gozasse, usando o vibrador no meu clitóris. Me senti um pouco egoísta por não poder retribuir naquele momento (e até um tanto pressionada a gozar logo por conta do horário), o que dificultou um pouco o meu orgasmo, mas ele veio! Rs.

Naquele dia teríamos sessão de fotos com o comandante, e o traje sugerido era de gala. Nos banhamos rapidamente e então descemos alguns andares. Ao chegarmos esbaforidos, descobrimos que na verdade estávamos adiantados uma hora. 🤦🏼‍♀️ Daí já ficamos por ali mesmo bebendo um champanhe horrível que serviram para os que já haviam chegado, e convenientemente fomos um dos primeiros a fotografar com a celebridade do navio.

O comandante Francesco Saviero Veniero era um coroa todo bonitão, charmosão e falava outro idioma. Adoraria tê-lo como cliente também. 😬 O momento da foto foi bastante rápido e genérico. Quando chegava a sua vez ele te cumprimentava, então posávamos ao seu lado, dois cliques e acabou. Educadamente se despedia, e nos indicavam por onde sair. Parecia até um “meet & greet” com algum artista. Depois venderam a foto por um valor superior às outras que tiramos a bordo. (Que compramos mesmo assim.)

Depois nos encaminhamos para o restaurante e novamente fotografamos com aqueles fotógrafos que ficavam de tocaia em pontos estratégicos esperando pelos hóspedes. Dá-lhe fotos!

Nessa noite eu não curti o nosso jantar. Primeiro que passei mais frio que na noite anterior com aquele ar condicionado horroroso. Segundo que as opções do cardápio não estavam tão boas. (Cada dia dispobilizavam opções de refeições diferentes e limitadas.) Até a bebida que o Organizado escolheu (um vinho vermelho) não me agradou. Nem a sobremesa escapou do meu crivo. Ao final acabei pedindo uma sopa para comer com pão. Era isso ou ficar com fome. – Ou recorrer ao bandejão mais tarde rs. –

Depois seguimos direto para o teatro e lá ficamos por quase uma hora, aguardando o início da apresentação daquela noite (outra vez nos enganamos com o horário rs). Eu continuava com frio e o Organizado me cedeu seu paletó (cavalheiro). Aproveitamos aquele tempo ocioso para rascunhar o relato do dia. 🤓

Ao contrário do jantar, a apresentação me agradou bastante!! Me lembrou quando fomos ao Burlesque Paris 6, neste encontro, muito bom!!

 

 

Ao final, o apresentador careca falou de um concurso “garota maginífica” que aconteceria dali a pouco naquele espaço em que ocorreu a festa dos anos 70 na noite anterior. O Organizado brincou que me inscreveria e na hora o meu lado competitivo despertou rs.

Voltamos para a suíte para que eu trocasse de roupa (estava me incomodando sentir tanto frio), coloquei um vestido com manga longa e um salto mais baixo. Depois seguimos para o salão indicado, mas quando chegamos o concurso já havia começado e  as candidatas estavam no palco.

A princípio fiquei frustrada por ficar de fora (adoro um desafio), mas quando estudei as candidatas, me dei conta que a gincana era zoeira, já que 95% das mulheres eram senhoras da terceira idade, havendo apenas três que fossem jovens e sensuais. E conforme o desafio começou, me senti aliviada por não ter ido rs.

A apresentadora – que era uma loira linda -, chamou a “Gisele” – a Gisele na verdade era um homem gay, vestido de mulher com bexigas por baixo da roupa, simulando seios e bunda fartos. Sua maquiagem também era chamativa – e instruiu que as candidatas o acompanhassem numa dancinha. Os movimentos eram bem escrachados, e só ele fazia com tanta perfeição. E mesmo sendo uma dança totalmente cafona, aquelas três jovens continuavam se esforçando em continuarem lindas rs. Mas isso não lhes garantiu lugar na próxima etapa rs.

Quando a música parou, eles haviam distribuído uma rosa para três senhoras. Daí a apresentadora anunciou que somente as que ganharam uma rosa, foram classificadas para a próxima fase. – Uma das candidatas jovens saiu com cara de decepção rs. –

Ahh mas eu tenho certeza que depois essas moças deram graças a Deus por não terem continuado na competição rs. O que veio a seguir foi uma grande pagação de mico! 😂 Primeiro puxaram cada senhora individualmente para se apresentarem dizendo seus nomes e de onde eram. Depois cada uma teve que dançar individualmente com a “Gisele” uma daquelas dancinhas cafonas e nada condizentes com senhoras que provavelmente já eram avós rs.

Somente uma delas se destacou. A que foi mais fidedigna aos movimentos que a Gisele fazia. Enquanto as outras duas se limitavam a balançar os braços e as pernas, essa foi além e até rebolou com as mãos no joelho! 😁 Foi engraçado e fofinho ver uma senhora dançando igual uma adolescente rs. Ela fez tanto sucesso que a plateia começou a gritar em coro: “Já ganhoou! Já ganhoou!” 

Mas essa dança foi só para aquecer e não valeu como critério de avaliação. – Apesar de já ter ficado claro quem era a queridinha de todos nós, que seríamos os jurados. 😉 – Depois a apresentadora perguntou para cada uma das senhoras quem era o ator ou cantor que elas mais gostavam (sexualmente falando). A primeira respondeu: “Roberto Carlos”, a segunda (a tal preferida), disse: “Daniel” e a terceira: “Reynaldo Gianecchini”. E sempre que uma dizia o nome da tal celebridade, a apresentadora dizia que era uma coincidência, pois o tal estava presente na plateia e pedia que a Gisele fosse buscá-lo. Daí escolhiam um homem aleatório para que subisse ao palco e se passasse pelo ator/cantor.

Curioso que para as duas senhoras menos aclamadas, escolherem rapazes com a idade parecida com a delas. Já para a que se destacou anteriormente, escolheram um “Daniel” bonitão e jovem rs. Essa se deu bem desde o princípio! 😏

A próxima etapa era um tanto humilhante, eu teria vergonha de prosseguir com aquela gincana se estivesse no lugar delas rs. A Gisele começou a demonstrar o que teria que ser feito. Ela com um outro rapaz da animação, fizeram par (assim como as senhoras estavam em par com os rapazes da plateia) e executaram as obscenidades que elas teriam que executar também. O objetivo era estourar três bexigas. Uma teria que ser estourada num abraço, outra teria que ser com a mulher sentando no colo do parceiro (até colocaram uma cadeira no palco) e para estourar a última, o rapaz teria que ficar meio que de quatro apoiado na cadeira, enquanto a mulher viesse por trás com a bexiga entre a parte da frente dela e a bunda dele. Ou seja, posições que simulavam uma transa. E como dificilmente as bexigas estouravam de primeira, imaginem a cena das vozinhas fincando nos rapazes até explodirem as bexigas?! 😂😂😂

É claro que todo mundo caiu na risada assistindo aquilo (eu também ri, confesso), mas ao mesmo tempo achei um pouco humilhante para as senhoras que estavam sendo motivo de chacota para os demais. E ainda bem que eram senhoras, porque se fossem aquelas três moças bonitas, provavelmente daria briga depois rsrs.

E por final, tiveram que interpretar. Haviam três envelopes. A fã do Roberto Carlos sorteou “choro”. Lhe deram o microfone para que ela chorasse. A segunda teve que dar risada, e a terceira (a favorita) teve que fazer justo o que? Simular o som de quando sentimos prazer. 🤦🏼‍♀️ A princípio foi bem ruinzinho, pois ela não gemia e sim gritava. Até que foi pegando o jeito, reduzindo aquele som agudo e também fez os movimentos de vai e vem. Santo pai! 😂

A vencedora nem foi a que estourou a bexiga mais rápido, ou a que interpretou melhor, mas sim a que fez a plateia se divertir mais. Decidiram pelo nível de aplausos e assobios direcionados a mesma. A ganhadora ganhou um certificado, uma mochila e uma miniatura do navio. Já as demais só uma mochila como prêmio de consolação.

Depois o local ficou caído, tocando músicas de axé antigas que um dia fizeram sucesso. E tratei de arrastar o Organizado para a discoteca.

 

Lá estava incrivelmente muitooo melhor! Quando chegamos tocavam músicas internacionais antigas, mil vezes melhor que músicas de axé. Pedi uma caipiroska para mim, e quando ele pediu o seu suco sem álcool, o garçom tirou um belo sarro. 😂 Zombando por ele querer permanecer ali careta rs.

– Aqui está bem melhor né?? – Perguntei animadíssima com o canudinho na boca.

– Não.

– Não??! Por que?? 😰

– Lá pelo menos eu conhecia as músicas, essas aqui eu não conheço. 🤷🏻‍♂️

(Estava tocando “Girls Just Want To Have Fun” da Cyndi Lauper)

– Não acredito que você não conhece essa música! 😱 Como é possível se você é mais velho do que eu??? – Perguntei incrédula.

Ele riu rs.

Eu estava adorando as músicas, o lugar, a companhia, a bebida subindo. Em pouco tempo fiquei bêbada rs. Também fomos para a parte externa certo momento, onde pudemos conversar sem tanto barulho, tendo como paisagem a parte traseira do navio.

Acho que ficamos por pelo menos uma hora lá. O arrastei para a pista e mesmo sem graça ele tentou dançar um pouco, mexendo o pé para lá e para cá rs. Ele deixou que eu determinasse quando fosse a hora de ir embora, e isso só aconteceu quando eu fiquei extremamente apertada. Não cabia mais nenhum líquido em mim e precisava dar um pulinho no banheiro. Ainda assim teimei em terminar o meu copo primeiro (mesmo ficando cada vez mais apertada a cada golada).

– Eu não entendo. Quanto mais eu bebo, mais tem líquido no meu copo. – Eu me queixava por não conseguir terminar a caipiroska.

– É porque o gelo está derretendo. – Ele solucionou o mistério rs.

Até então eu não tinha visto que havia um banheiro na entrada da discoteca e falei para irmos embora, para que eu usasse o banheiro da nossa cabine mesmo. Daí quando vi o banheiro mais próximo fui logo, mas ainda assim fomos embora, já que tinha curtido o suficiente e ainda precisaríamos de tempo para transar. 😈 Tontinha tontinha, senão fosse por ele teria me perdido no caminho de volta rs.

 

Dessa vez não teve camisolinha sexy. Fiquei totalmente peladona para ele. Não precisou de muitas preliminares pois eu já estava super acesa do álcool e ele, modéstia à parte, não precisa de muito para se excitar comigo. 😇 Então após poucos beijos e amassos, já estava encapando e colocando para dentro de mim no papai e mamãe. A transa foi bastante tradicional, sequer houve troca de posição. E foi uma delícia assistir seus olhinhos virando para trás quando ele gozou! Nunca reparei que ele virava os olhos daquele jeito antes rs. Eu devo ter gozado poucos minutos antes dele, me masturbando enquanto o sentia dentro de mim. Estava bêbada então dessa parte não lembro muito bem rs.

Depois fomos dormir, novamente abraçados. 💕

Um episódio engraçado (e trágico) que ocorreu durante esta noite, é que lá pelas tantas da madrugada (nem sei que horas eram) acordei com meu nariz tampando. Como sou uma pessoa muito prevenida, tinha levado o meu Neosoro para o caso de isso acontecer. Então me levantei para pegá-lo, dentro da minha necessaire que estava em cima da pia no banheiro.

Levantei sonolenta, mas segura de que conhecia aquele quarto como a palma da minha mão para poder caminhar no escuro. Porém fui imensamente surpreendida pela minha mala deitada no chão (não lembrava de tê-la largado ali). Tropecei feio e caí de joelhos em cima dela, que era de plástico com ondulações. Acabei gemendo com a dor, ele escutou, acendeu o abajur e rapidamente me acudiu. Vocês acreditam que até agora os meus joelhos ainda estão roxos?! 😢 Brinquei com ele que ia espalhar por aí que fui espancada nessa viagem rs. Tadinha de mim. 😰

Viagem com o Perguntador – 2° Dia!

Perguntador

Acordei com seus beijos nas minhas costas, e me virei para beijá-lo. Depois desci para seu pau e o chupei por um tempo, até que encapamos e começamos comigo por cima. Após um tempo cavalgando, invertemos e ele veio no papai e mamãe, enquanto eu me masturbava bem gostoso. Depois de alguns minutos gozei, e ele também. Ahhh, nada como um sexo matinal. 😎

Fui me banhar, e enquanto isso ele ficou na varanda, sentado na cadeira, lendo vários jornais diferentes. Devo ter demorado mais de meia hora até lavar o cabelo, secar, passar meus cremes e me vestir, e como já havia demorado o bastante, ele nem perdeu tempo tomando banho naquela hora, fomos logo tomar o café da manhã.

No restaurante, algumas coisas estavam disponíveis para pegarmos, e outras tivemos que pedir através do cardápio, para que fizessem na hora. Meu cliente sugeriu de comermos algo muito gostoso que não lembro o nome, feito com ovo, presunto, e torrada, uma delícia! 😋

Depois daquele delicioso café da manhã, voltamos para o quarto. O Perguntador queria assistir à corrida de Fórmula 1, e eu me aproveitei para tirar um cochilo, já que ainda estava com um pouco de sono, por termos acordado cedo. Ao deitarmos na cama, no entanto, sem planejarmos acabamos transando de novo rs, entre um beijinho e outro o fogo se acendeu e quando vimos ele já estava perdendo a abertura da corrida rs. Após gozarmos, aí sim cochilei, deitada em seu peito.

Após um tempo que não sei definir exatamente quanto, acordei com ele me perguntando o que eu achava sobre a noite, umas 20h, irmos assistir o Fábio Porchat na peça “Meu Passado Me Condena 2”! 😱 Eu veria o Fábio bem na minha frente??! Quase não acreditei!! Respondi que seria incrível, e que eu queria sim!! 😍 Daí voltei a cochilar, enquanto ele fazia a compra on-line, pelo notebook.

Depois de algumas horas, ele se banhou e fomos passear pelas redondezas. Ele conhecia um barzinho ali perto, e fomos andando até lá. Enquanto andávamos na calçada da avenida, uma coisa impressionante e totalmente inusitada aconteceu! Uma mulher o gritou do outro lado da rua, ela estava no alto de um outro barzinho com algumas amigas. Puts! Ele disse que era uma grande amiga e que não daria para seguirmos sem cumprimentá-la direito, então fomos juntos até lá. Acabei a conhecendo, ele me apresentou como uma “amiga” rs. – Ainda bem que estávamos em outro estado, se ele encontrou uma pessoa conhecida lá, bem capaz de eu encontrar alguma também, se estivéssemos em São Paulo.- 😳

Eles conversaram por alguns minutos, sobre até quando ele ficaria no Rio e etc, enquanto eu fazia cara de paisagem, com o sorriso congelado no rosto, só conseguia pensar no que a tal amiga deveria estar pensando sobre nós. Por sorte não nos sentamos com ela, seria muito estranho para mim. Ele se despediu e continuamos andando mais um pouco, contudo não ficamos muito longe dali – tanto que quando ela estava indo embora, deu tchauzinho quando nos viu no outro bar -.

Ficamos no barzinho por um tempo, ele bebeu algumas cervejas, e eu caipirinha de limão, que estava uma delícia e conseguiu me deixar “alegrinha” com apenas um copo. De lá rumamos para um restaurante chamado “Aprazível” que era simplesmente MA-RA-VI-LHO-SO! ❤️

Primeiro tentamos achar um táxi, o que deu um pouco de trabalho rs, e para nosso azar – ou não, já que nos divertimos muito com isso -, o taxista não sabia chegar nesse restaurante! O que considerei uma pequena falha dele, afinal estávamos perto, e como o taxista dali não conhecia os points da região?! Rimos a beça no carro, porque ele precisou pedir informação para outros dois taxistas, e ainda pegou uma subida contramão rsrs, tadinho, devia estar pensado: “Maldita hora que peguei esses dois” Rsrs.

Mas vamos lá, o Aprazível! Se eu tivesse que avaliar esse restaurante, com certeza a nota seria 10! Em todos os aspectos! Precisamos pegar um elevador, para descer, mas não pensem que era fechado não! Pelo contrário! Era todo aberto, e assim como o hotel em que estávamos hospedados, totalmente ligado à natureza! Muito fantástico! – Apesar de não ser ideal para dias de chuva -. E os garçons? Nos tratavam como reis! Simpáticos, sempre sorrindo e não era aquela coisa forçada não, eles realmente nos deixaram bastante a vontade enquanto estivemos lá. Conseguiram uma mesa incrível para nós, com assentos de estofados, similar àqueles sofás do Outback, sabe? E demos sorte, pois não eram todas as mesas que tinham aquele assento.

De entrada, meu cliente pediu pão de queijo com linguiça dentro, algo que eu nunca tinha comido (nessa combinação) e que adorei! Como todas as outras coisas que ele me proporcionou descobrir, desde o nosso jantar, no restaurante do hotel. Ele continuou bebendo suas cervejas e eu mais uma caipirinha, só que agora de maracujá, um drink delicioso que até ele acabou tomando comigo, de tão gostoso que estava rs. Infelizmente, perto do prato principal chegar, tivemos que trocar de mesa, pois o sol estava baixando, e ficou bem na nossa cara rs. Providenciaram uma outra para nós, igualmente confortável, no entanto, num lugar mais fresco e comecei a sentir frio a partir daí, então almoçamos e não nos prolongamos mais, o frio acabava com o encanto rs.

Voltamos para o hotel andando, e novamente nos divertimos, pois o meu cliente que já estava um pouco mais “altinho” do que eu, não estava botando fé em mim, quando falei que sabia o caminho de volta rs. Daí ele me pressionou tanto, que em determinado momento até me bateu uma insegurança, e justamente nessa hora, quase pegamos o caminho errado, mas que fique bem claro que eu sabia o certo! Rsrs.

O Perguntador, assim como eu (o que me deixou muito feliz), também costuma dormir um pouco à tarde, então quando voltamos para o quarto, nos deitamos para tirar aquele cochilo gostoso após aquele almoço igualmente maravilhoso. Mas antes, coloquei o despertador em ação, para não perdemos a peça do Fábio mais tarde!

Ele pegou no sono mais rápido do que eu (afinal eu já tinha cochilado um pouco, de manhã), o que me permitiu descobrir que ele roncava! 🙄 Baixo, mas ainda assim aquilo era um ronco, e falaria com ele quando acordasse sobre aquilo! (Ele tinha me garantido que não roncava rs.) Quando o relógio despertou, tive que ser forte para acordar e acordá-lo também. Eu sabia que se eu não quisesse ir, ele não iria (mesmo que já tivesse comprado), mas imagina se eu ia querer perder a oportunidade de ver o Fábio Porchat bem na minha frente?! E ainda mais perder uma peça de teatro, algo que adoro e que fazia tempo que eu não assistia. Acordamos um pouco em cima da hora, então apenas nos trocamos rapidamente enquanto o táxi não chegava.

Acabamos pegando um trânsito no caminho do tal shopping em que ocorreria a peça, mas ainda bem que conseguimos chegar a tempo, pois depois que voltei para casa, vi no ingresso uma mensagem, dizendo: “Não é permitido a entrada após o início”. Olha o perigo! Eu teria ficado bastante frustrada se perdêssemos a peça. 😳 Sentamos na segunda fileira do canto direito, o que nos proporcionou uma visão incrível do palco! E a sala estava surpreendentemente cheia.

Para a minha surpresa, o Fábio e a Miá surgiram detrás da plateia! Fiquei fascinada por vê-los tão de perto! Pena que o Fábio não veio pelo nosso lado, e sim a Miá, mas ainda assim achei o máximo! A minha vontade era de tirar fotos a todo momento, mas me contive, já que mais ninguém o fazia, não queria que me achassem uma afobada que nunca viu um artista de perto na vida rs.

Peça Meu Passado Me Condena 2

Fábio Porchat e Miá Mello, durante a peça “Meu Passado Me Condena 2” no Rio de Janeiro, em Junho 2016

Peça Meu Passado Me Condena 2

Peça “Meu Passado Me Condena 2”

A história é continuação do filme que leva o mesmo nome, agora eles estão casados e a cena apresentada é exatamente a sequência após a festa de casamento, quando chegam na sua nova moradia, com os pertences ainda dentro das caixas.

O cenário é simples, no entanto bastante criativo, essas caixas estavam intituladas com as coisas que haviam dentro, por exemplo: “Som Frágil”, “Fotos da Miá”, “Presentes de Casamento” e etc. As atuações foram impecáveis, e dificilmente a platéia ficava séria por mais de dois minutos. Miá incorporou aquela mulher sonhadora que após se casar espera que tudo seja perfeito, e o Fábio, aquele típico marido que só quer transar após a chatice do casamento, e nada mais. Claro que acontece de tudo, menos o tão esperado sexo rs, brigavam pelos presentes que ganharam, pelas ligações da mãe do Fábio que ocorriam a todo momento, entre outras coisas de casal, e eram essas discussões que nos faziam rir mais e mais rs. Teve uma hora que o Fábio simulou uma partida, e nisso desceu para a plateia, passando bem na minha frente!! Meu Deus que emoção! 😍 E toda a plateia era bastante contida, não haviam seguranças e mesmo assim ninguém ousava interferir na apresentação, por que num show de alguma banda também não poderia ser assim?! Rs.

Ao final da peça, esperei que eles sumissem assim que as cortinas se fechassem, mas não, eles continuaram no palco, agora interagindo com o público, questionando quem ali não era do Rio, e perguntando a cada mão levantada, de onde vieram. Infelizmente nossas mãos passaram despercebidas, e acabaram não perguntando para nós. ☹️ Mas pelo menos consegui tirar mais algumas fotos!

Fábio Porchat e Miá Mello

Fábio Porchat e Miá Mello, após término da peça “Meu Passado Me Condena 2” em Rio de Janeiro / Junho de 2016

Fábio Porchat e Miá Mello

Depois fomos embora, comigo toda sorridente e radiante rs. 😁😊

Voltamos para o hotel, com o mesmo taxista que nos levou. Ao chegarmos no quarto, ficamos um tempo sentados nas cadeiras da varanda, conversando, curtindo o restinho do fim de semana, no dia seguinte eu voltaria para São Paulo. 😔 Depois ele pediu um prato para comermos no quarto mesmo, e após a refeição, fomos dormir. 💤💤💤

A Viagem – Segundo Dia

IMG_20150729_004459

No dia seguinte quando eu acordei parecia que ainda era noite. Por precaução estiquei o braço e peguei meu celular no criado mudo para ver as horas, levei um susto pois já era 9h45!! Dali 15 minutos encerrariam o café da manhã do hotel (que era incluso), corri até a janela e puxei a cortina, estava um puta sol lá fora! Cortina pilantra! Tampava toda a claridade do dia rs. Chamei meu namorado e pedi que se apressasse senão perderíamos o café da manhã. Já corri para o banheiro, escovei os dentes e troquei rapidamente de roupa.

Chegamos no refeitório faltando poucos minutos para às 10h00. Deu para comer mas não tão a vontade, pois quando encerrou o tempo, o funcionário do hotel veio nos avisar que iriam começar a retirar as coisas e que se quiséssemos pegar mais alguma coisa que fossemos naquele momento.

Depois do café, voltamos para o quarto e antes de cair na estrada transamos. 😛 Depois do banho pegamos algumas coisas para levar junto, coloquei meu biquíni por baixo do vestido e saí na maior expectativa de conseguir pegar uma praia! Rs.

As praias boas de fato eram longe, ainda bem que locamos carro pois não quero nem imaginar quanto ficaria se fôssemos de táxi para cada lugar. Meu namorado se queixou que por estar dirigindo não conseguia prestar muita atenção na paisagem como eu, mas mesmo assim não tinha como comparar o conforto de ter um carro sempre à disposição.

Como a praia era longe, houve distrações no caminho, passamos por uma feirinha e eu fiz questão de parar para ver algumas lembrancinhas que eu pudesse trazer para São Paulo. Acabei comprando três brincos (lindíssimos!!) e cinco lembrancinhas que eram uma concha grande com uma pintura dentro, simbolizando o fundo do mar com conchinhas e golfinhos em miniatura dentro, uma lindeza! E com os dizeres “FLORIANÓPOLIS – SC – BRASIL”.

IMG_20150729_004224~3

Depois quando retomamos o caminho da praia, parecia que o sol tinha dado uma enfraquecida, ele que não ficasse bem quente não! Eu estava igual um sedento no deserto querendo praia hahaha. Pegamos um pouco de trânsito enquanto nos aproximávamos dela, a da vez era a Praia Do Mole! 🙂

Linda, com muitas ondas (do jeito que eu gosto) mas com cada vento gelado que parecia uma tapa na cara hahaha. Continuei de vestido porquê o vento era mesmo muito forte e frio, apenas tirei meu chinelo e levei na mão. Meu namorado não tinha levado chinelo na viagem (porquê o que ele tinha era de espuma) e teve que andar de tênis na mão (o carro já estava bem distante à essa altura) fui até a água e encostei meu pé, meu pai que água gelada!! Seria impossível entrar naquele freezer! Fomos andando pela extensão da areia e passamos por uma cabana tocando bem alto aquelas músicas dançantes de balada GLS, eu adorei, deixava a praia bem animada. Havia placas de “Perigo” devido as ondas serem bem fortes. Na ponta da praia haviam umas pedras enormes (que foi onde tirei todas essas fotos), eu nem queria subir nelas pois tenho medo de altura, mas meu namorado me ajudou e ainda bem que foi insistente pois a visão lá de cima era mesmo incrível e ainda me rendeu boas fotos! 😉 Durante alguns minutos ficamos só nós dois em cima delas e foi onde consegui tirar as fotos mais assanhadas. Depois para descer foi mais difícil do quê para subir rsrs sou bem medrosa e já estava me vendo caindo ali. Uns argentinos estavam descendo a pedra no mesmo momento que nós e um deles também estava com medo, a princípio eu achei que ele estava tirando sarro de mim, encenando que estava com medo também, mas depois percebi que ele estava meio bêbado e meu namorado até o ajudou porquê os amigos dele já tinham descido na frente.

Dali encontramos uma trilha que levava para outra praia, a Praia da Galheta, só é possível ter acesso a ela através da trilha. Uma trilha bem chatinha, melhor estar de tênis, ou no meu caso que estava de chinelo ajudou, mas tinha umas partes que era só lama.

Durante a trilha tinha um homem TOTALMENTE NU parado num ponto dela, olhando a praia de cima, eu nem o vi de imediato pois estava mais preocupada olhando para o chão, até que meu namorado que estava indo na frente, disse: “você viu o homem pelado ali?” Achei que ele estava brincando e quando olhei pra trás vi o cara me encarando com a maior cara de psicopata, falei pro meu namorado: “nossa que doido! E ele ainda encara!” Continuamos andando, a trilha era grandinha e já estávamos querendo que acabasse logo. De repente quando olho para trás, o peladão estava vindo bem atrás de mim!! 😮 Fiquei alarmada, ele estava de boné branco, mochila nas costas e totalmente nu com as coisas balançando. Chamei meu namorado e fiz um gesto visual, ele não entendeu a princípio e depois acabou vendo por si mesmo. Também ficou preocupado e enquanto andava abaixou para pegar uma pedra grande no chão, fiquei aliviada quando vi o fim da trilha se aproximando e mais aliviada ainda quando vi outras pessoas no fim dela, dificilmente o cara tentaria fazer algo com mais pessoas perto. Fiquei olhando para as pessoas, vendo como reagiriam ao ver um homem nu andando em público, mas incrivelmente agiram como se fosse normal!! 😮

Essa outra praia era uó, deserta, silêncio mórbido e nem sol tinha nela, a água era tão gelada quanto a anterior. Mesmo assim andamos por ela explorando, de repente vindo na nossa direção, adivinhem? Mais dois homens pelados!!! Esses até que eram mais bonitos e jovens mas ainda assim fiquei sem entender, será que ali era praia de nudismo?! Kkkkkkkk. Porquê as outras pessoas que vimos na praia eram argentinos (aliás o quê mais vimos em Floripa foram argentinos), vai que eles por serem estrangeiros não sabiam? Meu namorado ainda brincou que eu deveria tirar a roupa e andar pelada também rs.

Ficamos um tempo apreciando a praia e meu namorado até disse para entrarmos na água gelada e foda-se, que se eu entrasse ele entraria também, mas não fui capaz, tava muito gelada mesmo! Falei que era melhor deixarmos para outro dia rs.

Quando voltamos tudo e estávamos indo embora para comer alguma coisa, acabamos entrando naquelas lanchonetes que têm na beira da praia, já na Praia do Mole novamente. Somente um cara atendia, muito simpático e até mesmo bonito de olhos verdes. Pedimos os mesmos bolinhos que comemos na noite anterior naquele barzinho, mas ficamos impressionados com a diferença de preço e quantidade, nesse a beira mar valia muito mais a pena!

Depois planejamos ir para o sul da ilha, mas estava com muito trânsito naquela direção, então após um tempo de tédio parados na estrada, pedi que meu namorado virasse o carro (como algumas pessoas também estavam fazendo) e fôssemos para o norte, que é onde tinham os barzinhos com gente jovem e a famosa Praia dos Ingleses.

IMG_20150729_003614

Não conseguimos chegar a praia de fato, pois foi anoitecendo (era longe pra caramba). Demos umas voltas a pé na Vila dos Ingleses, tomamos sorvete e voltamos para o hotel.

Depois que chegamos e tomamos um banho, fomos dar uma olhada na piscina, já era noite mas ela era coberta (infelizmente não aquecida 😥 ), também estava geladérrima! Desistimos e fomos para a mesa de sinuca. Pedimos as bolas na recepção e fomos jogar!

Meu namorado começou ganhando de 4×0 mas eu consegui alcança-lo! Teve algumas vezes que eu acertei várias seguidas e fiquei me sentindo a tal hahaha. Ainda assim ele ganhou a partida. Jogamos melhor de três, a segunda partida eu ganhei e a terceira ele ganhou de novo.

Foi engraçado que quando começamos a jogar eu reclamei que não tinha giz e ele me olhou com uma cara do tipo “desde quando você entende disso?!” e depois quando expliquei que o que valia mais não eram quantas bolas e sim a soma dos números marcados nelas, ele me olhou com uma cara pior ainda e falou: “está por dentro hein?! Falando tão cheia de propriedade” me achando uma Maria bar kkkkkkk.

Depois voltamos para o quarto, transamos (hummmm) e saímos de novo na madrugada para comer!

Mais uma comédia na noite, colocamos no GPS “Pizzaria Don Ruan” chegamos no destino e ficamos dando várias voltas atrás da pizzaria, quando nos demos por vencidos fomos até uma lanchonete de um posto de conveniência, perguntamos pela tal pizzaria e adivinhem só?! Nem existia mais!! Hahahaha. Aff nem pra atualizarem no mapa!!

Comemos na tal lanchonete mesmo e depois voltamos para o hotel. Transamos de novo e dormimos feito anjinhos. ❤