Cliente 358 – “O Astuto”

Combinamos no motel Astúrias e quando cheguei, ele já me aguardava na piscina (suíte 31), então, rapidamente me despi e me juntei a ele dentro da água. Homem de sotaque diferente, que revelou ser uma mistura de dois países latinos (não lembro os nomes agora). Gostei dele. Alegre, simpático e bem humorado. Trocávamos alguns selinhos entre uma conversa e outra, até que engatamos um beijo mais malicioso e daí ele começou a me masturbar, ao mesmo tempo em que eu lhe retribuía o prazer. ✊🏻

Essa foi a primeira vez que gozei sendo dedada. Mas isso ocorreu, pois, ao mesmo tempo em que ele introduzia seu dedo dentro de mim, a palma da sua mão tocava o meu clitóris, toda vez que ele ia com o dedo mais fundo. Então, o que me fez gozar mesmo, não foi exatamente a dedada, mas aquela habilidosa pressão clitoriana. Fenomenal. 😍

Toda hora ele interrompia a minha punheta subaquática, por estar quase gozando, mas, quando percebeu que eu também iria gozar nos seus dedos, se permitiu. 💦 Que belo começo de encontro hehe. Curtimos a água mais um pouquinho e em meia hora (contando desde o tempo que cheguei), saímos da piscina e fomos para o quarto.

Ele tomou uma rápida ducha e se juntou a mim na cama. Retomamos os beijos e dali a pouco desci para seu pau. Enquanto o chupava, ele disse que também queria me chupar, pedindo que eu sentasse no seu rosto (reciprocidade é tudo) hummmm. Após um tempo assim, voltei para seu pau na posição em que eu estava antes e não muito depois encapamos. Fui por cima e nem foi preciso trocarmos de posição, ele gozou sem muito esforço.

Na sequência já foi se banhar e começou a se vestir para ir embora, que já estava dando a nossa 1h. Foi embora antes de mim. Já eu, permaneci mais um tempinho na suíte, aproveitando para fazer umas fotinhos e vídeo para vocês. 😏👇🏻

Ahh… lhe apelidei de “Astuto” pois, enquanto estávamos na piscina, em determinado ponto da conversa, ele disse que estava fazendo tal coisa (também não me recordo agora o quê exatamente) para que eu relatasse bem dele depois no blog rsrs. Acho que foi pelas suas dicas de restaurantes ou algo assim (me recomendou o Entrecôte de Anquier). O achei Astuto por se planejar em dizer ou fazer algo, já pensando no que eu poderia escrever depois rs. Não que muitos outros também não tenham feito isso, mas ele foi sincero em expor haha.

Cliente 357 – “O Inebriante”

Em quatro anos de profissão, nunca aceitei fazer o que fiz com ele: atender em domicílio logo de cara. Na verdade, senti maior confiança para tal, pois ele já saiu com a Manu Trindade e ela me deu boas referências sobre ele. Boas até demais e, por incrível que pareça, ela não exagerou em nada do que disse. Que homem…!

Quando abriu a porta do seu apartamento, me deparei com um rapaz mega atraente e com aparência ainda mais jovem do que na foto (revelou ter 42, mas, lhe dava uns 30, no máximo). “Deus me ajude!”, pensei desconcertada. Em pouco tempo começamos a nos beijar e até a sua camiseta branca era gostosa ao toque. Ele me prensou contra a parede, enquanto seguíamos com aquela deliciosa sessão de beijos e então me levou para seu quarto.

Entre um beijo e outro, nossas roupas foram saindo e me agachei para chupá-lo (ainda estávamos de pé). Bem que a Manu me avisou que seu pau era grandinho, mas que maciez era aquela? Mesmo preenchendo toda a minha boca, era uma delícia de chupar. Me deliciei até que me puxasse para cima e então, ele também desceu para me paparicar. Foi uma chupada rápida, mas imagino que por causa da posição, pois ao me levar para a cama, voltou para a minha menina e se dedicou com tanta perfeição, que somando a tudo que eu já tinha visto até ali (sua aparência, seu dote, sua pegada), com a sua chupada era o pacote completo. Não via a hora de senti-lo dentro de mim.

A camisinha foi um mero complemento. Difícil encontrar uma transa tão perfeita em todos os aspectos como aquela. Desde as preliminares até o ato final. Ele penetrava com tal habilidade, que toda a minha experiência sexual foi para o ralo. Roubou a cena. Me pegou de lado, de frente, comigo por cima e em todas as posições eu delirava de prazer. Poderia passar horas sendo invadida por ele que mesmo sendo grandinho, não me deixaria assada.

A minha primeira gozada foi rápida. Difícil conter um tesão daqueles. Me masturbei enquanto ele me pegava de lado (um de lado, meio de frente). Vez ou outra seu pau ficava meia bomba, mas devia ser pelo cansaço (ele conduziu a transa mais do que eu), ou também para evitar que gozasse rápido. É difícil narrar exatamente a sequência das posições, pois passamos todo o tempo do encontro transando (fora as preliminares iniciais, que foram rápidas) e repetimos várias vezes as mesmas posições, sem que perdêssemos a intensidade do prazer, mesmo com a repetição.

Em certo momento voltei a chupá-lo e me empolguei em fazer beijo grego. Dei uma singela lambida e percebi que ele apreciou, então me acomodei e caprichei ainda mais nas lambidas seguintes. Ele é o tipo de homem que você sente prazer em agradar, independente de qual for a sua fantasia. Era só ele pedir que eu estava entregue. (Menos anal, que seu dote era demasiadamente grande hahaha). Ao final da nossa uma hora juntos, ele optou por gozar nos meus seios. Que delícia sentir a sua porra quentinha no meu corpo. Nos banhamos e então me vesti para ir embora, torcendo desde já para que houvesse repetecos.

Cliente 356 – “O Admirador”

Suíte 110. Foi uma grande surpresa quando, pessoalmente, ele revelou ser o tal “Luiz” que tanto comenta aqui no blog!! 😱 Me acompanha desde que comecei e somente agora, que está solteiro, pôde sair comigo! Conversamos bastante, nos sentamos na cama e dá-lhe prosa! Depois nos beijamos pra valer e engatamos o “namoro”. Despiu minha roupa e já foi descendo para a minha menina. Fiquei empolgada pelo seu oral, mas me chupou muito rápido (menos de 1 minuto) e já voltou a me beijar rs.

Depois foi a minha vez de também chupá-lo e caprichei, a fim de preencher ainda mais as suas expectativas hehe. 😏 Depois voltamos a nos amassar e muitas vezes ele interrompia nossos beijos para ficar me olhando. Daí tive a ideia de lhe fazer uma massagem tântrica, para que pudesse me olhar a vontade, sem que eu não estivesse fazendo nada rs. Ele concordou e massageando fiquei, até que me pedisse pela camisinha.

Após encapado, começamos comigo por cima e conduzi por algum tempo. Quando cansei, trocamos para papai e mamãe. Bombou por mais alguns minutos e então chegou lá. Depois ficamos conversando por um tempão até o término do tempo, que só foi percebido quando ele enfim foi se lavar e eu resolvi checar as horas. Duas horas passaram voando! Me banhei também e então partimos. Me presenteou com chocolates de Portugal! 😋

Teve mais um pouco, que não vem ao caso eu mostrar aqui…

Uau! Pelo jeito ele gostou mesmo do nosso encontro. 😃❤️

Também gostei Luiz!! 😋

Cliente 355 – “O Apetecível”

Suíte 122. Nos beijamos afoitamente. Parecia que ele tinha gostado bastante do que viu e eu também me empolguei com ele, que era mil vezes mais interessante pessoalmente que na foto. Muitos beijos ainda de pé, até que nos deitamos na cama. Mais alguns amassos e me despiu. Retribui o deixando nu também e tomei a iniciativa de chupá-lo primeiro. 😋 Também fui paparicada depois. 🤗

Ele me chupou por bastante tempo, até que voltamos a nos beijar, comigo deitada por cima dele. Intercalei com sexo oral nele mais uma vez e então encapamos. Fizemos em diversas posições. Começamos comigo por cima. Cavalguei por um tempo e depois revezamos. Ele também pediu que eu ficasse de quatro, algumas estocadas assim e já emendou com a posição de bruços.

Quando se cansou, voltei a ir por cima e após recuperado, pediu que eu ficasse de quatro de novo, posição em que mandou ver até gozar. 💦 Depois ficamos por alguns minutos deitados na cama descansando e conversando, até que fomos para o banho. Ele foi o primeiro a ganhar o meu livro físico e autografei para ele na mesma hora. Nos despedimos na recepção. Encontro de 1h.

Cliente 354 – “O Rico”

Apesar da péssima experiência que tive no Lush da última vez (na verdade, até liguei lá para me certificar que nesse dia teria água rs), marcamos lá mesmo. O cliente da vez foi um japa e lhe apelidei de “Rico”, porque ele teve a generosidade de pagar uma quantia acima do meu cachê estabelecido. (Combinamos 2h.) Ricoooooo rsrs.

Ele já havia me avisado que era muito meu fã e que estava com grandes expectativas para me conhecer. O que me alegrou e me preocupou um pouco, pois expectativas elevadas nem sempre conseguimos suprir. Felizmente, ele pareceu ter gostado muito de mim, inclusive até falou que eu tinha superado as suas expectativas. (Suspiro de alívio.)

Nos beijamos bastante ainda de pé e nossas preliminares foram de longa duração. Nos sentamos na cama e ali continuamos com sutis carícias pelo corpo, como beijos no pescoço e chupada nos seios, até que nos deitamos, momento em que ele me fez um oral. Seu oral, confesso que não foi tão excelente, pois ele não fazia a devida pressão. As vezes nem parecia estar movendo a língua rs. Mas antes assim do que com brutalidade, não é mesmo? Rs.

Depois também o chupei por um tempo e então voltamos para os amassos, até que pedisse pela camisinha. Após encapado, começamos comigo por cima e nem foi preciso trocar de posição, pois ele gozou assim. Durante a pausa fomos para a hidro, que ele já tinha deixado no jeito, antes que eu chegasse para o encontro.

Enquanto estávamos naquela água deliciosa e quentinha, começou a chover fortemente e aquele barulho todo (somado a grandes goteiras que mais pareciam pequenas cachoeiras), acelerou para que decidíssemos voltar para o quarto, após um tempo. Nessa hora ele teve a iniciativa de me fazer uma massagem, então me deitei de bruços na cama para receber o mimo.

Após a massagem, aproveitando a posição que eu já estava, ele também me chupou lá atrás e ficou me atiçando naquela região. Seus carinhos foram gostosos e como eu estava plenamente relaxada após a hidro e a massagem, acabei ficando afim de fazer anal. Ofereci e ele adorou. Não perdemos tempo e antes que eu mudasse de ideia, ele já pegou o preservativo e lubrificamos bem. Ele tentou entrar comigo ainda de bruços, mas como não estava dando certo, sugeri tentarmos comigo por cima.

Desse jeito também não rolou (muito escorregadio) e tive a ideia de tentar comigo de costas para ele. Somente assim entrou legal e fui conduzindo devagar enquanto também me masturbava. Gozei maravilhosamente após um tempo e então foquei nos movimentos para que ele gozasse também. Infelizmente, certa altura, acabou escapando e nisso não foi possível retomar, pois como é uma região muito sensível, uma vez fora, não consigo continuar. Daí fomos para o banho, que nossas duas horas estavam encerrando naquele momento.

Durante a chuveirada, perguntei se ele estava tranquilo de horário e mediante a sua confirmação, perguntei se ele não gostaria de ficar mais uma hora, afinal, ele estava me pagando muito a mais do que cobro em duas horas, acima até do que cobro em três horas, na verdade. Ele topou. 😊

Voltamos para a cama e nesse momento retribui a sua massagem. Ele, por sua vez, não me deixou massageando por muito tempo, pois estava quase gozando (fiz a tântrica) e queria aproveitar um pouco mais. Sendo assim, encapei de novo o menino para o segundo round. Ele veio por cima desta vez, no papai e mamãe.

Foi engraçado que quando eu estava prestes a gozar, ele desacelerou quase parando e como eu estava chegando lá, precisava de velocidade rs. Pedi que metesse e aí me dei conta que ele estava se segurando justamente para não acabar gozando também rs. Mas não resistiu e quando voltou a acelerar, gozamos juntos. 😌

Delicioso. descansamos um pouco e então fomos para o banho mais uma vez. Ele partiu antes de mim pois já tinha ficado um tempo a mais que o seu planejamento inicial. Pena que ele não mora no Brasil, então sabe-se lá quando e se haverá repeteco.

Cliente 353 – “O Cheio de Pegada”

Suíte 116. Logo que entramos no quarto, ele já pediu licença para se banhar (detalhe, eu ainda não tinha postado sobre o cliente anterior, nota-se a diferença) e conversamos um pouco enquanto isso. Já de cara gostei da sua pessoa, pois apenas conversando dava para sentir que ele era alguém bacana, com uma energia boa. Voltou, nos beijamos e logo fui percebendo a sua pegada. Chupou os meus seios e foi descendo para a minha menina sem titubear. Me chupou deliciosamente até me fazer gozar, mantendo a dedicação todo o tempo, ainda que sua língua devesse estar cansada, já que eu demorei um pouco para chegar lá. 😬

Depois foi a minha vez de chupá-lo e acho que essa foi a primeira vez que o cliente me trocou tanto de posição durante um sexo oral rs. Primeiro o chupei com ele deitado de barriga para cima, depois com ele de pé no chão e eu de quatro em cima da cama; por último se sentou por cima de mim. Resumindo:  Rapaz que aprecia um bom oral. 😋

Revezamos com oral em mim de novo e dessa vez pediu que eu ficasse de bruços, ganhei chupada até lá atrás! 😏 O tempo do encontro, que foi de apenas 1h, foi muito bem aproveitado. Ficamos praticamente 40 minutos apenas nas preliminares e só no finalzinho que fomos para os finalmentes. Ele explicou que curtia mais um oral do que a transa em si e que por isso me trocou tanto de posição, além de ser muito visual.

Por fim encapamos e me pegou no frango assado, posicionado na beira da cama, me puxando para a ponta. Mandou ver por um bom tempo (saliento que ele metia muito gostoso, homem com pegada é outra coisa) e depois pediu que eu ficasse de pé. Comigo de pé não deu muito certo e devido a dificuldade para entrar de novo, seu pau acabou amolecendo.

Voltei para o oral, até que ficasse no ponto e então novamente encapamos. A posição da vez foi de quatro. Mandou ver até gozar. Depois fomos direto para o banho e nisso o tempo acabou. Pedi a refeição (que era inclusa no quarto) e ele me acompanhou na conversa, não quis comer. Ainda ganhei uma carona. 😊

Cliente 352 – “O Malcheiroso”

A priori combinamos no Apple, mas trocamos para o Lush, a meu pedido, que não fazia a menor ideia do azar que seria atender naquele motel, naquele dia. (O típico: no lugar errado e na hora errada.)

Suíte 707. Cheguei, nos cumprimentamos e assim que terminamos de subir a escada do quarto (ele havia descido para abrir a porta pra mim), começamos a nos beijar. Após um tempo nos beijando de pé, tomei a iniciativa de irmos para a cama e foi nessa hora que começou o meu azar.

Despi sua camisa e senti um forte cheiro de suor vindo das suas axilas. 🤢 Mantive a compostura e perguntei se ele já tinha tomado banho (era óbvio que não, perguntei só pra entrar no assunto do banho mesmo) e, como eu esperava, respondeu que não. Daí delicadamente pedi que se banhasse e o aguardei na cama.

Se já foi bem ruim ele não estar devidamente higienizado para o nosso encontro e ainda ter deixado rolar ao ponto de irmos para a cama, sendo que ainda não tinha se banhado, foi pior ainda quando ele voltou para o quarto, dizendo que não tinha água no chuveiro. Tinha água na pia, na descarga, mas no chuveiro, que era o principal, não. Só podia ser brincadeira.  💆🏼‍♀️

Liguei na recepção e a moça disse que realmente estavam com problema na caixa de água e que iria fazer a transferência. Perguntei para qual quarto e ela disse que todos os quartos estavam assim, que ela tentaria fazer a transferência da água, mas que não era certeza que a água seria restabelecida e tudo isso levaria de 20 a 30 minutos para ser feito (isso se desse certo). Fiquei puta. Onde já se viu não ter água no motel?! 🤬

Pensei em sugerir que fôssemos para outro lugar, mas eu tinha compromisso depois e isso ia me atrasar toda. O jeito foi fazer dos limões a limonada. Peguei meu lenço umedecido e entreguei para ele se limpar no banheiro. Falei da parte íntima, mas a vontade foi de acrescentar as axilas também. Torci para que ele tivesse o bom senso de dar aquela checada e sentir o próprio cheiro.

Não teve. Voltou e o cheiro ruim continuava. Minha vontade foi de encerrar o atendimento naquele momento e ir embora. Contudo, eu já tinha ido até lá, dispensei um tempo me arrumando, me locomovendo e não aceitava abrir mão do meu cachê. Suportei.

Ele não tinha iniciativa nenhuma na cama. Ficava parado igual uma estátua esperando eu conduzir tudo. Beijei ele e já desci para seu pau, que ao menos estava completamente depilado e, graças ao meu lenço, também estava limpo.

Esperei que ele tivesse alguma iniciativa de me chupar também, mas isso não aconteceu. Ele sequer tocou nos meus seios e é difícil ter muito o que fazer, se a outra parte não interage. Sem contar que enquanto eu o chupava, ele não esboçava nenhuma emoção. Olhava pra ele e o flagrava olhando para os lados, totalmente aéreo. Transar com homem robô definitivamente não é a minha praia. 

Já peguei a camisinha, encapei e fui por cima. A minha posição preferida é papai e mamãe, mas com ele preferia manter uma certa distância. O que não foi possível por muito tempo. Ele acabou sugerindo trocarmos e quis vir por cima. Pensei: “Só respirar pela boca”. Durante as suas investidas, ele me beijava e daí comecei a reparar em como o seu beijo também era ruim. Sem língua, parecia que eu tava beijando o oco. Suas estocadas eram lentas e nada excitantes, não sei como ele conseguiu gozar naquela velocidade 1. 

Quando terminou, ficou arriado por cima de mim por um tempo, até que pedi que ele saísse, antes que o pau ficasse mole e a camisinha ficasse dentro. Fui ver se a água tinha voltado e nada. Liguei de novo na recepção, inutilmente.

Voltamos para a cama, ele sugeriu irmos embora (o que eu não via a hora de acontecer desde o momento em que ele tirou a camisa), mas ainda tínhamos 20 minutos (combinamos 1h). Voltamos a nos beijar e nessa hora não aguentei. Perguntei: “Cadê a sua língua?” (Nunca vi beijo de língua sem língua.) E daí sua língua deu o ar da graça por alguns segundos, até que dali a pouco voltou para a toca de novo. 

Acabamos ficando só na conversa mesmo. Seu pau não voltou a endurecer só com beijos e eu não me arrisquei a chupá-lo de novo, uma vez que ele tinha gozado e eu não confiava na sua lavagem com a água da pia. Tentei pela última vez uma banho antes de ir embora, mas isso não foi mesmo possível. Péssimo. Até para pegar o documento na recepção foi um parto. Não sei nem qualificar o que foi pior nesse dia, a pessoa ou o estabelecimento. 👎🏻