Publicado em Aventuras, Contos Eróticos

Ménage à Trois – Parte 1

Primeira noite no Cruzeiro…

Saturday night…

A bordo da MSC Seaview…

Lá estava eu, em uma das baladas disponíveis a bordo, situada num ambiente conhecido como “Garagem”, com sua decoração colorida e americanizada que nos remetia aos anos 90.  O DJ ficava dentro de um carro parecido com aqueles de parque de diversão, também havia algumas mesas altas pelos cantos e um balcão enorme onde pedíamos as bebidas. 

Imagem meramente ilustrativa, similar ao ambiente narrado.

Eu já havia feito amizade com três meninas (impressionante como é fácil se enturmar a bordo), todas menores de idade (16 e 17 anos), que se espantaram quando revelei não ter a mesma idade que elas rs. Nessa primeira noite eu não estava muito animada, talvez só não estivesse bêbada o suficiente, o que fez com que eu não me interessasse quando eles se aproximaram de mim.

Vou chamá-los de Juninho e Betinho, já que, posteriormente, se apresentaram com nomes no diminutivo rs. O Betinho passou por mim primeiro e pegou na minha mão. Lhe dei uma olhada, até que era bonito, mas esnobei. Não estava na vibe de ficar com alguém, então me desvencilhei da sua mão e continuei dançando como se nada tivesse acontecido. Ele foi embora.

Passados alguns minutos, veio então o Juninho, mais bonito que o anterior, com uma tentativa de aproximação similar. Pegou na minha mão, novamente me esquivei, mas ao contrário do Betinho, ele foi mais insistente. A princípio pareceu que acatou a minha vontade e foi embora. Olhei para trás, para checar se ele tinha ido mesmo, e me surpreendi ao vê-lo conversando com o Betinho. Os dois me fitavam. 

Continuei dançando com as meninas, até que, após um tempo, o Juninho deu o ar da graça novamente. Tentei ignorá-lo mais uma vez, mas ele já chegou todo sorridente perguntando o meu nome e fiquei sem graça de ser mal educada. Lhe respondi e perguntei o dele também. Daí dançamos juntos a música que estava tocando (não lembro qual era).

Totalmente xavequeiro, perguntou se eu já tinha ficado com um baiano antes e mediante a minha negativa, disse que toda mulher depois que fica com um nunca mais esquece. Dei risada do seu jeito convencido e não me convenceu. Me disse que o Betinho era seu irmão, mas depois o peguei na mentira e descobri que o título de irmão era apenas simbólico por serem grandes amigos.

Dançou comigo  à noite inteira, mas não ficou o tempo inteiro do meu lado, o que apreciei, pois não queria ninguém no meu encalço. Ele ia e voltava. Ora dançava com seu amigo, ora sumia e depois reaparecia de novo. 

Após muitas investidas, fui vencida pelo cansaço e deixei que me beijasse. Seu beijo encaixou legal, mas não me deixou excitada, pois como falei, não estava muito animada e isso se aplicava a tudo. Nem a balada estava me agradando muito naquela noite. Tocava uns funks da moda que eu não conhecia direito (mas que voltei sabendo as letras de cór kkkk), além de não conseguir acompanhar o requebra da mulherada. (Sou mais do rock’n roll.)

Enfim, eu tinha curtido o beijo dele, mas sinceramente falando, estava cagando pra ele. Conhecia bem o seu tipinho. Aquele que se acha o rei da balada, o gostosão, que quer passar o rodo em todas as mulheres presentes e eu não queria ser só mais uma na sua cama.

Ele me arrastou para uma área mais privativa e tentou me seduzir com um papo de “quero deixar você louca, molhadinha”, além de, ousadamente, tentar enfiar o dedo na minha calcinha, que sabiamente não deixei. Sei lá eu onde ele esteve com aquele dedo cheio de micróbios.

Nisso fui salva pelo gongo e as meninas estavam de partida. Aproveitei a deixa e falei que ia com elas. Ele tentou fazer com que eu ficasse, mas sou dura na queda e fui embora um tanto aliviada por me livrar dele. Lhe ofereci o meu número de telefone como prêmio de consolação, que obviamente não diminuiu a sua frustração. Certeza que na minha ausência ele continuaria a sua busca e tentaria levar outra para a sua cabine.

Publicado em Contos Eróticos

My Sunday

Como é gostoso acordar sem nenhum tipo de compromisso. Sem horário definido, sem despertador, sem planejamento, apenas quando o seu corpo diz que já é o momento. Tudo bem que, ultimamente, a maioria dos meus dias tem sido assim, mas só consigo ter essa plena sensação de tranquilidade aos domingos. O dia que muito estabelecimento não abre, que as lojas dos shoppings só abrem depois das duas, o dia em que muitas pessoas também estão em suas casas igualmente relaxadas curtindo o dia de folga.

Após despertar, decidi que queria ler. Me comprometi comigo mesma que em 2019 (se possível nos próximos anos também) leria (pelo menos) um livro por mês e acordei disposta a cumprir a minha meta diária de leitura. Peguei o livro com título bastante sugestivo da Alice Clayton que estava estrategicamente em cima do meu criado mudo e contabilizei quantas páginas eu deveria ler para suprir a ausência de leitura do dia anterior.

Até a página 143 (estava na 113). Mas, como um reloginho, ao chegar na página 127 (quase a minha meta diária de 15 páginas) precisei de um descanso, mesmo que a história estivesse empolgante, tal qual uma transa deliciosa que no ápice da sua interação, também precisa de um pequeno intervalo para repor as energias.

Em paralelo a minha leitura, dois, dos meus três gatos, se aninharam a mim durante esse tempo e decidi usar essa pausa para dar maior atenção a eles. Percebendo que estava de fora da sessão de carinho, o terceiro também apareceu e tive que me revezar, desejando ter três mãos para poder fazer carinho em todos ao mesmo tempo rs.

De repente comecei a sentir fome e quase me levantei para esquentar a pizza da noite anterior, mas o meu filho mais velho (que confesso ser o meu preferido) estava quase dormindo com seu focinho apoiado no meu braço e não tive coragem de me mexer. Coloquei o livro de volta no criado mudo, tirei meus óculos e me juntei a ele. Dormi por mais duas horas…

Tive um sonho estranho (como a maioria dos meus sonhos) e em determinada parte do que eu sonhava, transei com alguém que não lembro o rosto e diversas vezes quase tive um orgasmo (no sonho). A sensação de quase gozar e aquela vontade ficar presa por tão pouco foi tão real e agonizante, que despertei, manhosamente procurando pelo meu vibrador dentro do criado mudo.

O liguei, rezando para que a bateria não acabasse no fio da meada, como já aconteceu milésimas vezes, voltei a fechar os olhos e imaginei uma transa qualquer, sem precisar de muito esforço para chegar lá com a potência do meu brinquedinho maravilhoso. Quando terminei, desliguei o aparelinho apenas com o tato sem abrir os olhos, ainda extasiada curtindo aquela maravilhosa sensação de relaxamento pós gozo por mais alguns minutos. Até que, preguiçosamente deslizei sob o lençol até chegar na beirada da cama, me sentando e sentindo o frio do chão ao tocá-lo com os meus pés descalços. Estava toda suada e precisava de um banho.

Publicado em Aventuras

I’m Back!

Bom dia povos e povas! 

Já voltei de viagem (voltei há uma semana) e a partir da semana que vem iniciarei as postagens. Contudo, decidi que não postarei sobre a viagem toda, apesar de ter feito enquete no Twitter e Instagram sobre isso…

Ahhhh, mas por que?? Por mais que o resultado tenha apontado para “toda a rotina a bordo”, analisei que relatar sobre todos os dias, tornaria o passeio um fardo, afinal, é cansativo escrever sobre 24 horas do dia por uma semana. Sem contar que foi uma viagem pessoal (da outra vez tudo bem, que tinha sido com cliente) e assim também preservo os momentos que tive ao lado da minha mamis.

Espero que não me levem a mal, quando fiz a enquete ainda estava em viagem e bastante animada, mas depois que voltei só restaram o cansaço e as lembranças que prefiro guardar comigo.

Então… a partir de segunda contarei do ménage a tróis que fiz a bordo (enfim realizei a minha fantasia sexual com dois homens!! 🤗) e irei dividir em 3 postagens. Aguentem a ansiedade!! Rs.

Retornarei aos atendimentos em fevereiro, mas podem me enviar mensagens no WhatsApp que já estou agendando! 😏

Então é isso… um beijo e até segunda! 

Publicado em Programas

Comunicado Importante

Boa tarde!

Como foi o réveillon de vocês? Espero que bem. 😊 O meu foi bem tranquilo, fiquei por aqui mesmo, não viajei. Mas… agora sim irei viajar! (Uhuuu.) 😍

Ficarei ausente de amanhã (sábado) até o próximo sábado, mas podem me acompanhar pelo Instagram e Twitter que sempre que possível compartilharei fotinhos com vocês por lá. 😏

A propósito, eu havia informando no Último Post de 2018 que retornaria aos atendimentos na segunda quinzena de janeiro, mas, receio que talvez seja um pouquinho depois, pois, pelos meus cálculos, entrarei em período menstrual no finalzinho da semana que vem. 😢 Prometem não desistirem de mim até lá? ❤️

Então é isso… Have a nice weekend! 🍹

Grande beijo. 👄

Publicado em Resenhas

Série: You

Esses dias, pouco antes da virada do ano, estava de bobeira e resolvi assistir uma séria nova da Netflix, que estreou dia 26 de dezembro, chamada: You (Você). Sabe, eu sou o tipo de pessoa que evita assistir a trailers, justamente para que quando eu estiver assistindo tudo seja uma surpresa, e por essa mesma razão desisti de colocar o trailer aqui para vocês. Então, quem sabe os convenço só com palavras (e com algumas cenas que selecionei) de que a série vale a pena ser assistida? 😏

Por que a série me interessou?

Quando li a sinopse, me chamou muito a atenção a protagonista ser aspirante a escritora (me identifiquei na hora rs) que viveria um amor arrebatador com um psicopata. E quem não gosta de um perigo, não é mesmo? Rs.

Joe (Penn Badgley) é um gerente de livraria que é fisgado por Beck (Elizabeth Lail) assim que ela põe os pés dentro do estabelecimento. Os dois desenvolvem um diálogo promissor e desde então ele passa a stalkeá-la, uma pessoa que ele só tinha visto e falado uma vez na vida.

A série é baseada no livro homônimo de Caroline Kepnes, possui apenas 10 episódios e tem uma pegada muito interessante. É narrada pelos pensamentos de Joe, como se ele estivesse conversando com a própria Beck (com exceção do episódio 4 em que também há narrações pela perspectiva dela). E a forma como vamos criando uma opinião sobre ele é mesmo muito louca, pois apesar dele cometer muitas atrocidades, é também fofo, cavalheiro, dedicado e gostoso ao mesmo tempo. Acho pouco provável que uma mulher tenha o odiado o tempo inteiro enquanto assistia.

Ciúme. Ô sentimento tóxico esse. Joe acha que tudo que faz é por amor, mas não. É por ciúmes. E eu fico me perguntando, será que existem caras como ele por aí? Claro que devem existir. O que é ainda mais assustador, já que esse tipo de homem parece inofensivo e até mesmo perfeito.

No entanto, como tudo que tem uma explicação nessa vida, com esse personagem não é diferente. No desenrolar da trama descobrimos que ele foi educado para ser assim, como se tais atitudes pudessem ser justificáveis de algum modo.

Agora vamos falar de Beck. Me identifiquei demais com ela tentando escrever e não tendo nenhuma inspiração. (Eu estava exatamente assim com o meu TCC haha.) Uma personagem doce, bondosa, mas também um tanto chatinha. Certas cenas fiquei com tanta raiva dela ao ponto de me afeiçoar mais pelo próprio psicopata. (É possível isso?! 😅) E o mais hilário disso tudo é que ela teve a chance de se livrar dele numa boa, contudo, ela mesma o atiçou para que voltassem.

É impressionante como certos amores e pessoas podem nos fazer mal, ainda que achemos estar nos fazendo bem. O final me surpreendeu. Beck foi muito burra, eu no lugar dela teria agido completamente diferente.

Gostei demais da série por vários motivos. Primeiro que eu já conhecia o ator que interpreta Joe (ele deu vida ao fofíssimo Dan Humphrey em Gossip Girl); segundo que me interesso por romance, ainda que num contexto sinistro como esse. E apesar de na vida real temer viver algo desse tipo, é fascinante nos imaginarmos no lugar da protagonista no conforto e segurança de uma ficção. As cenas são bem produzidas, temos um pouco de tudo: romance, sexo, suspense e até mesmo humor em certos momentos. Pelo visto haverá segunda temporada.

TRILHA SONORA

Uma outra coisa que também me chama muito a atenção em qualquer produção cinematográfica é a trilha sonora, pois sou doida por música. Então trago aqui algumas músicas que numa primeira aparição em cena me agradaram, mesmo que ouvindo a música inteira depois, não tenha sido tão interessante assim rs. E no final deixarei dois desafios para quem também assistir a série.

  • Nelson Can – “Break Down Your Wall” (Episódio 1 – Após mostrar Beck lendo as mensagens das amigas, enquanto anda pelo campus);
  • Rob Simonsen – “Night Drive” (Ep. 1 – Quando Beck se masturba com Joe assistindo escondido / Terceiro vídeo desse post);
  • Lighspeed Champion – “He’s The Great Imposter” (Ep. 2 – Quando ambos estão se arrumando, logo no início do episódio);
  • LEISURE – “Got It Bad” (Ep. 3 – Quando Beck entra pela primeira vez no carro de Joe)
  • POWERS – “Heavy” (Ep. 8 – Após Joe não encontrar mais a Beck nas redes sociais e ela estar em casa escrevendo);
  • Ben Alessi – “Lose It” (Ep. 8 – Quando eles transam várias vezes em uma sequência de cenas / Segundo vídeo desse post)

Há duas músicas que não encontrei de jeito nenhum e que gostaria muito de poder ouvi-las inteiras. Me ajudam?

  • A música que toca no primeiro vídeo desse post. Quando ela aparece de surpresa na casa dele e transam. Shazam não identificou e nas minhas demasiadas pesquisas também não encontrei nada concreto revelando quem canta ou qual o nome da música. Só descobri isso:
  • A outra música que também não encontrei e queria muito é uma que toca no Episódio 8, quando Beck e Joe estão ajudando na mudança de Ethan, sentados lado a lado no sofá, desempacotando as coisas.

Se alguém souber, comenta aqui? 🙂

Publicado em Programas

Último Post do Ano

Lá se vai mais um ano…

E o que falar de 2018?

Em 2018 eu fiz tanta coisa incrível que, com certeza, posso elegê-lo como o melhor ano dos últimos tempos! Publiquei meu primeiro e-book na Amazon, fiz Cruzeiro (pela primeira vez) com o Organizado, terminei meu namoro (não que isso seja bom, mas após 8 anos de relacionamento também merece ser destacado); conquistei um sugar daddy, rompi e fiz novas amizades, me mudei para São Paulo!!! (Não sei como não fiz isso antes!) Meu site saiu do ar e ficou fora por um mês (não que isso seja bom também, mas foi um desafio tremendo). Tirei meu visto graças ao cliente Avaliador! Viajei para o Chile, Estados Unidos e fui ao show da minha musa, Taylor Swift, em Miami!!! Tirei 10 no meu TCC!!! Além de outras conquistas pessoais grandiosas que infelizmente não posso compartilhar aqui…

E o que esperar de 2019??

Estou com muitos planos para o ano que vem e alguns deles posso dividir com vocês!

Eu já havia contado aqui no blog que irei fazer a versão impressa do meu e-book, “O que os olhos leem, o corpo não sente”, não é mesmo? Pois então, a ideia inicial era fazer uma sessão de autógrafos, mas cheguei a conclusão que um evento desse iria me expor demais (mesmo que eu usasse máscara ou pintura facial como estava planejando), então tive uma ideia que considero ainda melhor!

Como retornarei aos atendimentos na segunda quinzena de janeiro (após eu voltar de uma viagem), decidi que os exemplares físicos do meu livro serão um presente que darei aos clientes que saírem comigo!! Autografado e tudo mais. Não haverá nenhum custo adicional, pois, o que almejo com tudo isso é que a minha escrita possa alcançar mais pessoas. ✨

Para os casados e comprometidos que não quiserem se arriscar ganhando um livro meu, tudo bem também, mas já lhes adianto que não será concedido nenhum desconto no cachê do encontro por abrirem mão do livro, tá? Como falei é um presente e não será cobrado nenhum adicional por ele.

Aos seguidores de outros estados que quiserem o livro também e não puderem sair comigo, irei me cadastrar em uma plataforma de pagamento online para que vocês possam comprá-lo. Nesse caso venderei, pois a graça de presentear alguém é poder olhar a pessoa nos olhos enquanto recebe o presente.

Além disso, também pretendo fazer a versão audiobook. Vocês elogiam tanto os meus relatos narrados em áudio que estão me motivando a ser mais diversificada rsrs.

Ahh, aproveitando o gancho, dia 23 desse mês, recebi uma nova avaliação do e-book lá na Amazon!! 😍 Gostaria de compartilhar mais essa alegria também:

Pretendo escrever um livro novo, sobre as 18 (até o momento) experiências que tive com rapazes após o término do meu namoro, seja através do Tinder ou em baladas (quem me acompanha no insta, já deve ter visto meus stories com queixas amorosas rs). 😅 Quero fazer algo no estilo de “Louca Por Homem”, da Claudia Tajes, então será um livro com muito mais comédia do que erotismo. 😌

*

Mais novidades…

Excluí minha conta do Facebook (possuía o perfil Sara Müller e a página Diário da Sara Müller) e decidi investir em outra plataforma, sendo o Youtube. Na verdade, a ideia é economizar o espaço do site em relação a vídeos mais longos (aqueles em que eu narro os relatos) e colocá-los em uma plataforma própria para isso. Aliás, o canal já foi criado. Nem preciso dizer que ficarei imensamente feliz se vocês se inscreverem, né? 😬  Só clicar aqui e você será direcionado.

Gostaria de agradecer a todos que saíram comigo esse ano, em especial ao Personal Gineco por ser meu sugar daddy, graças a você conquistei muita coisa importante na minha vida!!! ⭐️

Ao Organizado por ter me proporcionado a minha primeira experiência marítima internacional, também por ter me ajudado quando meu site foi banido do WordPress, além de ter se tornado meu grande amigo, sempre me ajudando com coisas pessoais igual um anjo da guarda. 🙏🏻

Ao Avaliador por ter me ajudado a tirar o visto americano!!! Se não fosse por você eu (ainda) não teria realizado o meu sonho de conhecer os Estados Unidos e nem teria ido ao show da minha artista preferida que nunca vem para o Brasil. ✈️

Ao Atencioso por sair comigo desde 2016 e por sempre ser tão generoso e um poço de fofura. ❤️

Ao Fofo por ter me dado de presente aquele pen drive com um e-book dos relatos do blog. 🐻

Ao Religioso (você sabe pelo quê). ✍🏻

E por final, não poderia deixar de citar algumas acompanhantes que foram excepcionais comigo esse ano (infelizmente não poderei citar o motivo): Kris Bianco, Manu Trindade e Amanda Smell. Talvez elas nem vejam este agradecimento, mas enfim, precisava deixar registrado. 👠

E para fechar, trago abaixo algumas mensagens privadas que recebi ao longo deste ano. Mensagens de incentivo que quando enviadas tornaram o meu dia ainda melhor. ❤️ Agradeço demais o carinho de todos que se deram ao trabalho de me contatar para dizer coisas boas. Vocês não tem noção de como fiquei feliz com cada mensagem recebida!!! 😍

Pelo Twitter:

Meu querido cliente “O Avaliador” falando sobre o perrengue que passei quando meu site ficou fora do ar.

Novamente meu cliente “O Avaliador” após ler a postagem da minha viagem para os EUA graças a sua ajuda com o visto.

Meu querido cliente “O Fofo”

Pelo Instagram:

Pelo WhatsApp:

Aqui ela se refere ao e-book: “O que os olhos leem, o corpo não sente”. Registrei em um cartório para privar os meus dados pessoais que ficariam expostos se eu registrasse na Biblioteca Nacional e por acaso os meus escritos fizeram sucesso entre os funcionários de lá rs. Eu bem estranhei que quando fui retirar o documento carimbado – um mês depois – todos ficaram me olhando rs.

Fui convidada até para um dueto! 🙂

Meu querido cliente “O Fã”

Mais uma vez, muito obrigada por me acompanharem!!

E é isso gente… Feliz Ano Novo para todos vocês e que 2019 seja maravilhoso para todos nós!!

Beijos de luz. ✨

Publicado em Curiouscat

Curiouscat

Olá, muito boa noite!

Chegamos ao último Curiouscat do ano! E quando digo último, falo literalmente, já que encerro aqui todas as perguntas destaques de 2018, de outubro para cá. Aliás, impressionante como as datas casaram certinho. 😁 ❤️

 

⭐️⭐️⭐️

❤️❤️❤️