A Maldade Disfarçada

Tenho medo…

Medo de pessoas psicopatas que entram em nosso caminho. Lobos disfarçados de cordeiros. Pessoas que acham que o dinheiro está acima de tudo. Pessoas que não sabem entender e aceitar quando algo chega ao fim. Que sentem prazer em difamar o outro, mesmo que em nada isto lhe acrescente, apenas porque foi rejeitado.

Pessoas que não sabem entender que foi bom enquanto durou, mas que nada dura para sempre. Pessoas que não respeitam a decisão do outro. Pessoas paranoicas, que você fala A e interpretam B. Pessoas inseguras e negativas, que, mesmo após meses, continuam estagnadas naquele sentimento ruim, obscuro e maldoso.

Dinheiro não compra tudo!

Muito menos amor. Conforto e luxo são bons, mas quanto valem? Todos estão dispostos a entregar a alma para o diabo em troca disto tudo? Nada é de graça. Tudo se paga. E quando a esmola é demais, devemos sim desconfiar. Cuidado! A alma do outro é uma floresta negra. Quem é bom para ti hoje, amanhã pode ser seu maior inimigo.

A maldade disfarçada é…

Um perigo eminente, mas ao mesmo tempo invisível. É quando alguém não sabe lidar com um Não. Um descontrole momentâneo injustificado. Uma fúria contida e exposta no pior momento. Argumentos vazios e podres. Ameaças retificadas. O mal que mesmo sem ser praticado, está presente por ter sido pensado.

Não compreendo…

Não consigo entender a maldade escondida nas entranhas de algumas pessoas. Qual a vantagem? Se toda e qualquer maldade desejada e provocada, um dia voltará para nós mesmos? Sabe… seria mesmo lindo se fôssemos todos capazes de evoluirmos espiritualmente. Aprendermos com os nossos erros, ao invés de tentar justificá-los. E seguirmos com as nossas vidas, mesmo que não tenhamos aquilo que gostaríamos. Afinal, se não temos, é porque não era para ser nosso.

 

Repeteco com o Gostoso!

Que felicidade que me dá quando um cliente das antigas (bota das antigas nisso) me chama para um repeteco! 😍 Para quem não sabe, esse foi o meu quinto cliente! E apesar de não sairmos com tanta frequência quanto eu gostaria, é sempre maravilhoso quando ele me envia uma mensagem. ❤️

Suíte 115. Fechou a porta atrás de mim e já me agarrou. Me encostou na parede e dá-lhe beijos! 👄 Me despiu aos poucos, também tirei a roupa dele e o sentei na cama, me agachando na sua frente para abocanhá-lo. 😋 Não demorou muito até que me puxasse para mais beijos e pela forma como me interrompeu, entendi que era para não queimar largada rs. 😏

Daí me deitou na cama e desceu para a minha xaninha, seria a minha vez de ser paparicada. Que maravilha de oral! 🤤 Depois voltamos a nos beijar, dei mais uns beijinhos no seu pau delícia e então encapamos. Não houve variações de posições, fui por cima e ele gozou assim. Conversamos bastante durante a pausa e perto do tempo acabar, perguntei se ele ia querer de novo, mas disse que não. Já estava satisfeito.   Conversamos mais um pouco então e depois fomos nos banhar. Encontro de 1h.

 

Repeteco com o Extenuante!

Extenuante

Definitivamente eu não esperava que o nosso repeteco fosse acontecer tão rápido, após os quatro dias da viagem que fizemos. Será que eu fiquei contente sim ou com certeza?! 😛 Combinamos no motel Astúrias, suíte 42. Ele havia deixado a porta destrancada para mim e quando entrei, o flagrei tomando banho. 😏💦

Quando terminou, me grudou no quarto, como um namoradinho fogoso que há muito tempo não vê a sua putinha. Me encostou na parede e entre muitos beijos e amassos, despiu a minha roupa com visível desejo. Depois nos deitamos na cama, desci para seu pau e enquanto o chupava, ele sugeriu 69. Ficamos algum tempo naquela delícia, depois voltamos aos amassos e então encapamos.

Ele veio por cima e aconteceu algo que eu não esperava. Após um tempo transando no papai e mamãe, ele gozou! 💦 Quem acompanha o blog, sabe que esse cliente é um homem difícil na cama, foram poucas as vezes que ele gozou durante a penetração, sem precisar finalizar na mão (4x com essa, para ser mais específica) e sempre que acontece, me sinto imensamente feliz e satisfeita (tanto quanto ele rs). 😊

Durante a pausa, permanecemos na cama por alguns instantes, até que fomos aproveitar a hidro, por sugestão dele. Ficamos, pelo menos, uns 30 minutos relaxando na água. Ele, na verdade, não parava de mexer no celular, “B.O. no trabalho”, dizia ao mesmo tempo em que respondia suas mensagens.

Depois voltamos para a cama e trocamos muitas carícias. Estava tão aconchegante aquela troca de carinhos que quase cochilei. Mas, de repente, ele voltou a me beijar, me puxou para cima de si e após mais alguns beijos, desci para seu pau mais uma vez. Ele disse que queria me ver gozar, então peguei meu brinquedinho, encapei seu menino e fui sentando, ao mesmo tempo em que me masturbava. Gozei facilmente, já ele não conseguiu chegar lá, brincando que a segunda gozada só rolou quando era mais jovem rs.

Tentou finalizar na punheta. Lhe beijei e até me masturbei novamente (já que sei que ele sente muito tesão em assistir eu me tocando), mas a sua mão cansou. O chupei mais uma vez (enquanto me masturbava com o vibrador entre a sua perna e minha xana), gozei (outra vez), mas, realmente não rolou a segunda gozada dele. 😕 Depois fui para o banho e cada um chamou seus respectivos Ubers. Reencontro de 2h. ❤️

Repeteco com o Terceiro Argentino!

Assim que adentramos na suíte 404, ele foi se banhar, enquanto eu já fui me despindo e separando os “apetrechos” que usaríamos, deixando-os próximos à cama. Logo que ele voltou, todo cheirosinho e seminu, engatamos aquele beijo avassalador carregado de desejo e saudade! 💋 Em pouco tempo já desceu para as minhas partes íntimas, me deixando ainda mais empolgada para o que estava por vir. 🤤

Me virou de bruços e começou distribuindo beijos nas minhas costas. Ahh, que delícia sentir aquele homem másculo por cima de mim! 😛 Depois continuou descendo e me fez um oral daqueles, me chupando na frente e atrás! Ele estava mesmo inspirado, amei!! 😍 Após um tempo sendo paparicada daquele jeito caprichoso e dedicado, foi a minha vez de me deliciar e o chupei com ele ajoelhado na cama. Posso dizer que ele me chupou por mais tempo do que eu à ele, pois não demorou muito e ele já quis encapar. 😏

Pediu para me pegar de bruços e perguntei-lhe se tudo bem eu usar meu brinquedinho, visto que a posição dificultaria a minha masturbação sem a ajuda de um acessório que fizesse todo o trabalho por mim. Ele topou e após um tempo de estocadas, gozamos incrivelmente juntos! Foi mesmo muito louco e inebriante. 🤤

Permanecemos deitados por alguns segundos, enquanto ele se recuperava, e então fomos para a hidro. PS.: Essa foi a primeira vez que pegamos uma hidro juntos! ❤️ A colocamos para encher e já entramos antes que a mesma ficasse completamente cheia. Ficamos por uns bons minutos conversando e relaxando ao toque daquela água quentinha em nossa pele, até que voltamos para a cama.

Perguntei se, assim como nos encontros anteriores, ele gostaria que eu lhe fizesse uma massagem tântrica e ele topou de um jeito animado, como se só estivesse esperando eu oferecer. ❤️ O massageei sem pressa, começando pelo peitoral e depois descendo para o dito-cujo. Interrompi a massagem quando ele perguntou se poderíamos transar mais uma vez (óbvio que sim  😏). Ele veio no papai e mamãe e novamente usei meu brinquedinho. 🤭 Gozamos juntos pela segunda vez!! (Por incrível que pareça!) Como se ao perceber que eu estava prestes a gozar, ele também se permitisse, sentindo então aquele prazer junto comigo. 👄

Descansamos um pouco, ainda deitados, até que peguei meu livro na bolsa para ele, conversamos a respeito e então fomos nos banhar para irmos embora.  Encontro delicioso de 2h. 

Se aquele oral não foi com dedicação, imagino o que seria um ainda mais dedicado! Hehe.
Amei a análise do meu livro!! 😍

Cliente 370 – “O Quantitativo”

Combinamos no hotel Unique. Assim que adentrei na suíte, não perdemos tempo e já começamos a nos beijar. Ele era um pouco acelerado (até mesmo pela velocidade dos beijos), pois, rapidamente já foi tirando a minha roupa (geralmente as preliminares são mais proveitosas, ainda mais em encontros de maior duração), abriu sua braguilha e começou a sacudir o menino, acordando-o. 

Vendo que ele já estava com a mão “lá”, me prontifiquei a chupá-lo, mas, quando ia agachar, ele me interceptou, demonstrando preferir que eu continuasse lhe beijando. Obedeci (sempre danço conforme a música) e logo mais me encaminhou para a cama. Me chupou brevemente e já pediu para irmos para o sofá, que ele queria me pegar de quatro lá.

Me posicionei, ele rapidamente encapou e entrou dentro de mim. Como foi tudo muito rápido, fiquei feliz de ter levado meu vibrador clitoriano, me excitei em segundos e ainda consegui gozar enquanto ele estocava. 😊 Ele gozou logo depois de mim e então retornamos para a cama.

Enquanto se recuperava, lhe ofereci uma massagem e ele aceitou. Massageei suas costas, pernas e pés. 🙌🏻 Depois ele quis me chupar de novo (não permitiu em nenhum momento que eu o chupasse) e pediu que eu sentasse em seu rosto. Que delícia ser paparicada daquele jeito! 🤤 Após alguns minutos ele quis transar de novo e voltamos para o sofá. O segundo round foi muito parecido com o primeiro. Encapamos, me posicionei e ele mandou ver, com a diferença de que desta vez não consegui me masturbar, pois ele segurou meus braços para trás enquanto estocava. Gozou rápido. 💦

Durante essa nova pausa serviu vinho para nós (infelizmente era seco, não consegui disfarçar a careta rs 😬) e ficamos ali, empoleirados no sofá, conversando por uns bons minutos. Em certa altura voltamos a nos beijar e ele perguntou se podíamos transar de novo. Claro que podia, ainda tínhamos tempo e não contabilizo por gozadas. 😉 Desta vez deixou que eu me masturbasse, mas, assim que gozei, juntou meus braços para trás e também gozou logo em seguida. 

Resumindo, (não quero ser repetitiva), transamos quatro vezes e todas as quatro foram do mesmo jeito: comigo de quatro, no sofá, com gozadas em tempo recorde. Nem me importei com a quantidade, mas por sorte ele gozava rápido, senão sairia de lá esfolada. 😅 Encontro de 2h.

Cliente 369 – “O Versátil”

Combinamos no motel Astúrias. Suíte 38. Quando entrei (ele já havia deixado a porta destrancada para mim), o vi logo de cara, em pé, de roupão, me aguardando. Humm, bem mais interessante que na foto. 😏 Só foi o tempo de eu colocar a minha bolsa na mesa e na sequência fui até ele, beijá-lo. Nos beijamos um pouco de pé, despiu minha roupa e nos encaminhamos para a cama.

Ainda que estivéssemos praticamente nus, demorou para que um fizesse sexo oral no outro, pois ficamos bastante tempo, sem pressa nenhuma, apenas nos beijando e nos tocando. Foi mesmo delicioso toda aquela química. ✨ Somente após uns bons minutos que me deixou descer para seu pau. O chupei caprichosamente e ainda fiz beijo grego (que ele já havia me adiantado por mensagens que curtia). Depois me puxou para mais beijos, ao mesmo tempo em que seus dedos habilidosos brincavam com a minha menina. 😏

Depois ele também desceu para me chupar e quase me fez gozar. O chupei mais uma vez depois disso e então sugeriu fazermos 69. Fizemos deitados de lado, ficando algum tempo naquela delícia, até ele pedir para eu ficar de quatro, pois queria me chupar lá atrás também. 😛 Que tesão que foi! Depois disso, imagino que não aguentou muito me ver naquela posição e pediu para transarmos com camisinha (como se eu fosse dar sem preservativo kkkkk).

Encapamos e começamos comigo por cima. Tentei usar meu brinquedinho clitoriano, mas acabou a bateria bem no fio da meada. 😭 Continuei na mão mesmo e consegui gozar, ao mesmo tempo em que o sentia dentro de mim. 🤤 Depois ele, habilmente, me levantou e me deitou (homem forte é outra coisa hehe), para que ele pudesse vir por cima. Estava tão gostoso que, certa altura, até me masturbei de novo, mas não cheguei a gozar (a minha segunda também demora um pouco rs). Ele continuou bombando e quando seu orgasmo veio, ele tirou o pau e continuou na mão, mesmo com camisinha, justificando que tinha medo da camisinha estourar. Ou seja, mesmo com preservativo ele não confiava de gozar transando, isso que é medo! Rs.

Ficamos algum tempo conversando (ótimo papo ele tem, inteligente, falamos de fotografia), até que retomamos os beijos. Ele me chupou de novo e depois veio sentando por cima de mim, trazendo seu pau para a minha boca. Nessa hora o interceptei, o lembrando que ainda não havia lavado seu piu-piu após a ejaculação (tão cuidadoso quando é com ele e um tanto avoado quando é comigo rs), daí ele se desculpou alarmado e foi rapidamente passar uma água.

Assim que retornou, continuamos de onde paramos e caí de boca nele outra vez (se pau sequer tinha amolecido nesse tempo em que foi lavado 😯). Depois pediu por beijo grego de novo e posteriormente fio terra. ☝🏻 Daí coloquei uma camisinha no meu dedo e o introduzi aos poucos, ao mesmo tempo que ele se masturbava. Depois ele disse: “Se você me chupar ao mesmo tempo, seria lindo” e assim o fiz, mexendo o meu dedo dentro dele de uma maneira peculiar, tocando sua próstata, enquanto minha boca se dedicava ao seu pau. Acho que fiz do jeito certo, pois ele fazia comentários de aprovação conforme eu movimentava e acabou gozando assim, me avisando antes, já que não finalizo no oral.

Ajudei que se limpasse e durante essa nova pausa, aproveitei para lhe dar meu livro de presente. Ele abriu a embalagem (ainda estava lacrado, já que ele pediu sem autógrafo para não lhe comprometer) e deu uma boa folheada, lendo por cima a parte dos agradecimentos, prefácio e prólogo. Depois nos levantamos para beber água e então ele disse que não conseguiria fazer mais nada, cedendo o tempo restante (ainda tínhamos meia hora) para o meu prazer. “Quer gozar?!” Ele perguntou assim do nada, como se me perguntasse se gosto de chocolate rs. Rimos do seu jeito nada sexy de abordar o assunto e por fim respondi que sim. Quem não? 😛

Perguntou se podia me chupar e como eu gostaria de ser chupada. Escolhi comigo deitava confortavelmente na cama e lá foi ele. Acabei te dando um certo trabalho pois, demorei bastante para gozar, por vezes intercalando com minha própria masturbação, até que enfim consegui chegar lá. Nova pausa. Conversamos sobre redes sociais e suas censuras. Daí bebi mais um pouco de água e lembrei de um outro pedido que ele havia feito por mensagem: me assistir urinando. 💦

Entrei nesse assunto e curiosamente descobri como surgiu esse seu fetiche. Ele contou que quando tinha apenas 7 anos de idade, durante o período do Carnaval, viu uma mulher agachada fazendo xixi na rua e desde então passou a achar sexy assistir uma mulher fazendo isso. 😯  Não urinando nele, mas apenas assisti-la. Falei que devido a quantidade de água que havia bebido durante o nosso encontro conseguiria atender seu pedido e ele sugeriu que fôssemos para a hidro (que era de mármore e gigantesca).

Entrei na banheira, me agachei e me surpreendi quando ele também entrou (achei que fosse me assistir de fora), se agachou que nem eu, um pouco mais à minha frente, deitando a cabeça para o lado, para enxergar melhor quando saísse. Procurei ignorá-lo nessa hora e tentei focar. Me senti levemente pressionada e confesso que realizar esse fetiche ainda me trava um pouco. Por mais que o cliente enfatize que gosta e que lhe dá muito prazer, eu continuo com vergonha de fazer algo tão íntimo na frente de quem quer que seja rs. Demorou, mas enfim começou a sair. Não fiz muito, mas o suficiente pra deixá-lo de pau duro.

Quando terminei, aproveitei para chupá-lo, que estava ereto bem na minha frente, mas não o bastante para que ele gozasse e então voltamos para o quarto (não sem antes ligar a água da banheiro para que a urina fosse embora). No quarto voltamos a nos beijar (ele ainda estava duro) e perguntou se podíamos transar mais uma vez. Claro que não lhe negaria esse pedido, até porquê ainda tínhamos tempo, encapamos e ele veio por cima, mas logo depois pediu que eu ficasse de bruços. Meteu até gozar. Isso porque ele disse que não aguentava mais nada rsrs. O que um fetiche não faz?! Hehe. Depois fui para o banho e acabei partindo antes dele. Encontro de 2h. 😌

Viagem com o Extenuante – 3º e 4º Dia!

A princípio esse dia foi muito parecido com o anterior: transa matinal, café da manhã antes das 10h e o planejamento de passar o dia na praia mais uma vez. A diferença é que estávamos um cadinho mais sonolentos e preguiçosos, então, após o café da manhã voltamos para o quarto, onde eu tirei um delicioso cochilo e ele ficou entretido mexendo em seu celular. Como eu apaguei primeiro, não sei dizer ao certo se ele cochilou também, mas acredito que sim.

Fomos para a praia um pouco mais tarde do que planejávamos e eu entrei na água apenas uma vez (milagre rs). O mar estava bem mais calmo nesse dia, assim como eu, que preferi ficar de boa na areia. Já o Extenuante ia e voltava do mar à cada 10 minutos (perdi as contas de quantas vezes ele se ausentou para se banhar rs). Também pediu petiscos para nós (camarões e iscas de peixe, junto com bebidinhas):

Em certo momento lhe agradeci por ter me levado para aquela viagem. Ainda que houvesse uma questão financeira envolvida para eu estar ali, ele poderia ter escolhido qualquer outra acompanhante e no entanto escolheu à mim. Lhe agradeci por isso e ele todo gentil me agradeceu de volta. Fofo. ❤️

Não fiquei triste por ser praticamente o nosso último dia ali (apesar de querer sim repetir aquela rotina mais vezes), mas um tanto feliz e agradecida por mais essa experiência vivida. ✨ Voltamos para o hotel quando estava quase anoitecendo, nos banhamos e, antes do jantar, usufruímos da banheira que havia na suíte. Foi muito gostoso esse momento. Relaxamos naquela água quentinha após um dia gostoso de sol e mar, conversamos sobre diversos assuntos (principalmente sobre as suas experiências amorosas) e ainda acabamos transando, ainda que tenha sido um pouco desconfortável, pelo restrito espaço que tínhamos rs.

Em certo momento começamos a nos beijar, tomei a iniciativa de chupá-lo, ele também me chupou, encapamos e fui por cima, enquanto ele, por sua vez, estava sentado na parte de fora da banheira (mas com os pés dentro da água). Não conseguimos gozar, mas mesmo assim o durante foi gostoso. Quando ficamos ofegantes e cansados, ele se deu por satisfeito, ainda que não tivesse ejaculado. Fomos jantar (mais uma vez no restaurante buffet) e enquanto a comida fazia digestão, resolvemos dar uma volta pela orla da praia. Foi uma delícia aquela caminhada. A noite estava gostosa e a companhia idem.

Depois que voltamos para o quarto, transamos de novo. Aliás, lhes peço desculpas por não entrar em tantos detalhes nas partes sexuais, mas é que não consegui fazer rascunho durante a viagem, nem depois que voltamos, e esses momentos mais íntimos foram muito similares. Ele é bastante tradicional na cama e não fizemos nada que já não tenha sido narrado nas postagens anteriores dessa viagem.

 

Desta vez não encerramos a noite com um filme. Ele estava exausto e pegou no sono rapidamente. Já eu fiquei acordada por mais algumas horas, mexendo no celular enquanto meu sono não vinha. Fui dormir quase 2h da madrugada. Na manhã seguinte, ele quis transar antes do café da manhã, o que me pegou de surpresa, já que nos outros dias ele não me procurou com tanto afinco logo cedo. (Talvez ele tivesse pensado que não daria tempo após o café da manhã rs.) Como eu havia demorado para pegar no sono na noite anterior, tinha dormido menos e fiquei completamente impossibilitada de corresponder às suas investidas naquele momento. Pedi que deixássemos para transar quando voltássemos do café da manhã e ele respeitou. Pude dormir mais um pouco. Glória à Deus. 🙏🏻

Após comermos, logo que voltamos para o quarto, já fui tirando a roupa para dar àquele homem uma transa que fechasse os nossos dias juntos com chave de ouro. E, sem querer me gabar, foi uma transa e tanto. Consegui fazer com que ele gozasse transando! A propósito, bastante curioso que ele só tenha conseguido gozar daquele jeito (sem ser na mão) especificamente no primeiro e último dia da viagem. E nas duas vezes foi na mesma posição: eu por cima, usando meu vibrador no clitóris, atingindo o meu prazer quase que ao mesmo tempo em que ele alcançava o dele. Ufa, fiquei feliz. Eu até poderia não ter transando no exato momento que ele me procurou, mas consegui que a nossa última transa naquele quarto fosse uma saideira à altura. 😌

Na sequência nos banhamos e deixamos a suíte. Fizemos o checkout, trouxeram o carro e caímos na estrada ouvindo o que seria (pelo menos para mim) a trilha sonora daquela viagem: “Sirens” e “The Fixer” do Pearl Jam, que ele me apresentou em um dos momentos que estivemos na praia. 🥰

Curiouscat

Oiee!

Como de janeiro para cá recebi uma quantidade considerável de perguntas no Curiouscat, resolvi que seria válido compartilhá-las aqui, como eu costumava fazer, ainda que não com a mesma frequência de antes.

Sendo assim, segue abaixo as Perguntas Destaque, ou seja, aquelas perguntas que me chamaram a atenção positivamente, de Janeiro até a data de hoje! Estão classificadas em duas categorias: Interessantes e Elogiosas (antigamente também tinha as Engraçadas / Toscas, mas desta vez não teve nenhuma que se encaixasse nessas rs).

Espero que gostem e possam se entreter, assim como também me entretive respondendo hehe.

 

Interessantes:

Elogiosas:

Lembrando que para aqueles que gostaram e quiserem ver mais, no menu Curiouscat tem mais Perguntas Destaque dos meses anteriores. 😃

Grande beijo… 💋

Viagem com o Extenuante – 2º Dia!

Sara em Guarujá

Acordei por volta das 9h, achando que ainda era de madrugada (o que uma cortina blackout não consegue fazer rs). Fui rapidamente ao banheiro escovar os dentes, pois percebi que ele ia querer dar uma namorada antes do café da manhã e longe de mim fazer feio rs. Começamos a nos beijar e ele foi descendo para a minha menina. Seu oral conseguiu me despertar por completo e na sequência também o chupei. Ele sempre gosta quando eu me demoro mais na lateral da cabecinha, então lá fiquei, subindo e descendo com ponta da minha língua, assistindo suas reações enlouquecidas. Na hora de encapar, ele veio por cima, o que adorei, pois eu não estava com o devido pique para cavalgar tendo acabado de acordar naquele momento, já ele estava mais desperto do que eu. Estocou por algum tempo e não conseguiu gozar transando, finalizamos na mão.

Depois já agilizamos para o café da manhã, que só era servido até às 10h. Nos banhamos rapidamente e seguimos para o restaurante no andar de cima. Me servi com ovos mexidos, bacon, salsicha em molho, frios e pão de queijo. Ele se serviu de maneira parecida, acrescido de um sonho, que descobri ser algo que ele gosta muito. Voltamos para o quarto, apenas para colocarmos as roupas de banho, passar protetor solar e separarmos o que levaríamos para a praia. Passamos pela piscina do hotel, mas não me animei com ela. Prefiro muito mais o agito das ondas do que a calmaria de uma água doce. Ele também concordou comigo, então seguimos para o mar que nos aguardava furioso e traiçoeiro (logo mais saberão o que quero dizer).

Praia da Enseada, Guarujá

O hotel disponibilizava cadeiras plásticas, guarda-sol e toalhas para seus hóspedes, então foi muito mais tranquilo nos acomodarmos na praia, sem precisarmos nos preocupar em providenciar esses itens. Assim que nos sentamos, aproveitei para tirar algumas fotos antes de entrar na água (eis o momento em que tirei a foto inicial e última desse post) e fui a primeira a entrar no mar (não entramos juntos pois, foi preciso revezar para que alguém ficasse cuidando das coisas, enquanto o outro se banhava).

Adentrei na água as poucos, estremecendo sempre que sentia o seu toque na minha pele, até que meu corpo se acostumou com a sua temperatura fria e dei o primeiro mergulho, quando a onda já estava numa altura que eu não conseguiria pular. Devo salientar que entrei na água de óculos (sempre faço isso), pois minha visão é péssima sem ele, além do que, suas lentes escurecem no sol, tornando ainda mais indispensável o seu uso nessas ocasiões. Não passou pela minha cabeça levar lentes de contato nessa viagem, pois ainda não tenho prática com elas e perderia muito tempo tentando colocá-las e tirando. Estava sempre muito atenta quando a onda vinha, segurava meu óculos e como eu estava nadando contra a maré, era mais tranquilo nessa questão, pois a onda o empurrava justamente contra o meu rosto. Mas… de repente, aconteceu uma catástrofe.

Em certo momento que eu estava de costas para o sentido que as ondas vinham, veio uma de surpresa. Nem foi uma onda tão forte assim, mas foi o suficiente para tirá-lo do meu rosto. Foi muito rápido. Não consegui ver para onde ele foi pois, na mesma hora, involuntariamente fechei os meus olhos para proteger da água, acreditando que quando os abrisse veria meu óculos boiando por ali, mas isso não aconteceu. 😢 Sabe quando acontece umas coisas inesperadas e você pensa: “espera, isso não está acontecendo comigo”? Fiquei desacreditada. Chamei um moço que estava próximo de mim, pedindo que me ajudasse a procurar, mas foi impossível. Até ele falou: “ih moça, já era”. Fala se não é muito azar para uma pessoa só?! Fiquei ceguinha pelo resto da viagem e o que me entristeceu ainda mais foi ter perdido aquela armação. 😢 (Até voltei na loja que comprei na esperança de ainda ter uma igual, mas a coleção saiu de linha. 😭) Continuei na água depois disso, tentando inutilmente encontrá-lo e as ondas ficavam cada vez mais fortes. Comecei a ficar com medo delas. Em certa altura me percebi ofegante de tanto me esforçar para não ser arrastada para o fundo e resolvi sair antes que o mar me levasse embora também.

Praia da Enseada, Guarujá

Nesse primeiro dia de praia, devo ter entrado na água umas três vezes. Na última vez o mar me levou para tão longe que até me perdi do cliente, sem óculos então, parecia uma cega em tiroteio procurando nossas cadeiras. Nas vezes do Extenuante, ele voltava mais rápido do que eu. Devia literalmente dar uns dois mergulhos e voltar. Já eu ficava na água até meu corpo dizer chega rs.

Durante o tempo que ficamos na praia, comemos algumas besteirinhas, como sorvete, açaí e até brigadeiro, que uma mulher passou vendendo (na verdade, eu que comi tudo isso, ele só ficou na cerveja rs). Voltamos para o hotel por volta das 16h. Nos banhamos e cochilamos até o horário do jantar.

Quando acordamos, transamos de novo. As transas iniciavam do mesmo jeito: beijos, chupadas e então penetração, mas dessa vez me pegou de quatro. Nem assim ele conseguiu gozar transando. Daí fui por cima, gozei com meu brinquedinho e ele nada. Quando atingia o pico da exaustão, me pedia para deitar ao seu lado, depois recomeçávamos com o oral e ele finalizava na mão.

Nosso jantar foi no restaurante buffet e gostamos bem mais da comida de lá. Abastecemos nossos pratos duas vezes, comemos sobremesa e então voltamos para o quarto. Encerramos à noite assistindo outro filme, dessa vez indicado por ele, chamado: Histórias Cruzadas. (Me contou que, assim como eu, é fã da Emma Stone!) Gostei bastante do filme! Recomendo! Desta vez não teve outra transa antes de dormir, já que transamos antes do jantar e estávamos bastante sonolentos. Ele apagou enquanto eu lhe fazia cafuné. E lá se foi mais um dia…

Sara na praia da Enseada

Viagem com o Extenuante!

Ahh como é gostoso viajar. E fazia tempo que eu não viajava com cliente (nem lembro quando foi a última vez 🤔). A princípio ele queria viajar para fora (mais precisamente Estados Unidos) que eu A-D-O-R-A-R-I-A ter aceitado, pois minha viagem para lá no ano passado (sozinha, à passeio) foi bem rápida, mas infelizmente tive que recusar a oferta, pois estamos em período letivo e eu não poderia faltar nas minhas aulas (sim, me formei ano passado, mas já iniciei outra graduação 😬). Então ele escolheu algo mais perto. Gostei que ele foi todo fofo em procurar por algo que eu gostasse, apesar das férias serem dele. Me perguntou que tipo de viagem me cativaria e lhe respondi que gosto de lugares quentes (se tiver água então, melhor ainda!) e ele decidiu pela praia, pesquisando por uma não muito longe para que pudéssemos ir de carro, sendo Guarujá a escolhida. Achei ótimo pois nunca tido ido para lá, na verdade, nenhum de nós dois, então acabou sendo uma novidade para ambos. 😊

A viagem ocorreu naquele feriado de Páscoa (como sempre, estou atrasada com as postagens rs). Me buscou na quinta-feira por volta do meio dia e seguimos de carro para a praia da Enseada. Ele teve muito bom gosto na escolha do hotel, nos hospedamos no Casa Grande Hotel que é quase colado na praia. Só tínhamos que atravessar a rua para chegar nela. 🤗
 
Chegamos um pouco antes do check-in e o quarto não estava pronto, então deixamos as malas na recepção e fomos dar uma volta pela região. Andamos abraçados por alguns metros da extensão da praia, até que ele decidiu pararmos em alguns daqueles restaurantes à beira mar e pedirmos uma porção de camarão ou algo do tipo. Concordei, pois também AMO camarão e acabamos pedindo iscas de peixe junto. 😋 Lá ficamos por um tempão comendo e conversando e só mais tarde voltamos para o hotel. 
 
Falando em hotel, deixa eu falar um pouco sobre o Casa Grande Hotel. Era mesmo um casarão gigantesco. Rústico e aconchegante. Algumas partes das áreas comuns possuíam detalhes estéticos que nos remetiam a um navio. Muito interessante. Nosso quarto ficava no térreo entre muitos corredores. Ficamos na suíte 225 (senão me engano 😬).
 
Casa Grande Hotel, vista da suíte
Obviamente que a primeira coisa que fizemos diante daquela cama gigantesca e extremamente convidativa foi transar. Hehe. Trocamos de roupa para algo mais confortável (percebi que ele ia querer descansar um pouco depois da viagem de carro e de passarmos a tarde à beira mar)  e nos deitamos. Daí foi inevitável não começarmos a nos beijar. E como na maioria das vezes em que saímos, ele desceu para me chupar primeiro, antes que eu fizesse alguma coisa nele. Ahh que delícia ser chupada. Não é possível que existam mulheres que não curtam um mimo desses. 🤤
 
Depois foi a minha vez de retribuir aquele prazer e o chupei até que pedisse pela camisinha (o que levou um certo tempo, pois gostamos de caprichar e aproveitar ao máximo as preliminares 😌). Quando íamos partir para a penetração, perguntei se tudo bem eu usar um brinquedinho que eu havia levado. Ele me deixou completamente à vontade e então, ao pegar a camisinha, aproveitei para pegar também o meu vibradorzinho clitoriano. (Inclusive, já postei foto dele aqui.) Ahh que delícia transar utilizando apetrechos. Ao invés de eu mesma me masturbar, o vibrador faria tudo isso por mim. 🤗
 
Após encapado, o Extenuante veio então por cima de mim, mesclando frango assado com papai e mamãe. Ativei meu vibrador enquanto ele estocava e que sensação mais gostosa! Quando ele se cansou, sem gozar (não vamos esquecer o motivo do seu apelido ser O Extenuante rs), invertemos as posições e daí eu que fui por cima. Ainda com meu vibrador em ação, o posicionei de modo que eu roçasse nele sempre que eu sentasse e foi interessante o feedback do cliente nesse momento, pois antes de deixar o vibrador ali (entre o meu clitóris e a sua virilha), perguntei se lhe causava algum incômodo e ele disse que não, que era interessante a sensação do vibrador massageando-o também. Então lá fui eu, focada, determinada e alucinada com o prazer. Foi um prazer duplo (não de dupla penetração rsrs), sentir algo vibrando no clitóris ao mesmo tempo em que o sentia me penetrando. Fantástico!
 

* Dica para as mulheres: comprem um vibrador e não usem somente sozinhas! 
 
Eu gozei muito gostoso e surpreendentemente ele também!! Fiquei completamente abobada quando consegui o feito de fazer aquele homem difícil gozar transando (só havíamos conseguido uma única vez, no nosso terceiro encontro). Perguntei se tinha sido o vibrador, mas ele não admitiu rs, disse que o fato de eu estar por cima lhe dá bastante tesão. Hummm. Mas acho que foi uma soma. Estarmos na sua posição preferida, me ver gozar, sentir algo massageando a sua pele, enfim. Foi uma transa e tanto! 
 
Pedi licença para me banhar primeiro e quando voltei, adivinhem? Ele já estava dormindo. Me deitei ao seu lado e tentei dormir também, quem resiste a uma cochilada pós-transa? Mas meu sono não engrenou pois eu estava com uma insistente dor de cabeça. Sempre que viajo levo uma pequena farmacinha comigo, mas desta vez não fui prevenida para isso (não esperava sofrer desse mal na praia rs). Ele ficou de ver para mim se havia levado entre as suas coisas, mas não deixei que se levantasse naquele momento, pois não queria estragar seu sono. Então após um tempo naquela luta interna, decidi ver se no hotel teria e o avisei que iria dar uma volta. Ele assentiu e saí do quarto rumo a recepção. 
 
Lá fui informada que havia uma “Drugstore” dentro do hotel e segui para o local indicado. O tal drugstore era mais uma lojinha de revistas e cangas e o estoque de remédios ficava atrás da balconista, dentro de um gaveteiro de plástico em cima do próprio balcão. Perguntei se tinha remédio para dor de cabeça, ela respondeu que sim e perguntou qual eu gostaria. “Advil”, respondi prontamente. Ele procurou e não tinha. “Dipirona?” Tentei de novo e nada também. “Neosaldina?” Também não tinha e eu fiquei sem entender o porquê afinal ela me deu o poder de escolha, se eles só tinham uma opção de remédio. Kkkkk. “O que você tem aí?” Perguntei quase sem esperanças. “Doril senhora”, ela respondeu. “Pode ser esse então. Obrigada”. 
 
Paguei pelo remédio e segui para o lounge, onde tinha um homem tocando piano. O lugar estava praticamente vazio, com exceção de um outro rapaz mexendo em seu notebook. O garçom veio até mim e pedi uma água. Tomei o remédio e fiquei ali por um tempo observando o pianista (foi nesse momento que tirei a foto do início do post). Quando percebi que a dor de cabeça estava amenizando, me levantei e fui dar uma volta pelo hotel. 
 
Encontrei umas lojinhas de roupas e entrei numa delas. Não havia ninguém dentro da loja (nem mesmo o responsável por ela) e fui olhando as peças como quem não quer nada. Acabei sendo conquistada por um macacão e uma saída de praia. Resolvi prová-los. Olhei em volta pra ver se surgia algum vendedor ou caixa e o estabelecimento continuava deserto. Ousadamente fui sozinha para o provador e deixei para procurar por alguém só se eu realmente fosse ficar com as peças. 
 
Apaixonada. Fiquei completamente apaixonada por aquele macacão, apesar de ter ficado um pouco sem bunda vestida nele. A saída de praia também ficou um arraso (postarei foto e vídeo com ela no decorrer das postagens) e decidi levá-los. Nessa hora eu precisava de um atendente, deixei as peças em cima do balcão e saí para perguntar numa outra loja próxima. “Moça, você sabe onde está a pessoa responsável por ali?” E apontei a loja vazia. “Ali senhora”, ela apontou para a loja ao lado. Pelo jeito o dono tinha duas lojas e escolheu ficar na outra rs. Fui até lá, chamei o senhorzinho que estava no balcão e ele todo surpreso disse que não tinha me visto entrar na sua outra loja rs. Me fez um bom desconto pelas peças (que afinal estavam com 30% de desconto, mas ele deu até mais pois queria que eu comprasse as duas). Paguei por elas e voltei para o quarto. 
 
O Extenuante já havia acordado e, pela atmosfera do quarto, já havia até tomado banho. Falou de irmos jantar e me troquei, já estreando aquele macacão maravilhoso que não aguentei esperar mais para vesti-lo (e olha que levei uma mala cheia de roupas rs). Havia três tipos de restaurantes no hotel: O buffet, o de frutos do mar e o italiano. Nessa primeira noite optamos pelo frutos do mar. O restaurante era agradável, ficamos na parte externa, onde também éramos agraciados com a brisa da noite. As únicas críticas que cabem aqui é referente a demora no atendimento. Teve um momento que pedi apenas uma água e demorou muito para chegar, estava quase perguntando se haviam realmente anotado o meu pedido rs. Também não acertei muito na escolha do meu prato. O camarão estava um tanto sem gosto, o que deu sabor ali foi a banana. Provei da refeição do Extenuante e gostei menos que a minha rs (tanto que na noite seguinte não quisemos mais arriscar e fomos no buffet mesmo rs).
 
Durante o jantar conversamos muito sobre filmes e séries, o que acabou sendo determinante para o resto da nossa noite, já que terminamos o dia assistindo filme, deitados na cama. Ele confessou que era mais caseiro e que preferia ficar pelo hotel, ao invés de sairmos, e concordei feliz, pois também estava um tanto preguiçosa naquela noite. Ele disse que tinha um certo preconceito com filmes nacionais e por conta disto incentivei que justamente assistíssemos uma comédia nacional, que gosto muito, e que inclusive indico para vocês também: A Noite da Virada! (Tem na Netflix!) Eu já perdi as contas de quantas vezes assisti à esse filme (sempre repito quando gosto muito de algo), já persuadi muitas pessoas a assisti-lo comigo e dessa vez não foi diferente hehe. Ele aceitou a minha sugestão, então lá estávamos nós, já deitados na cama, assistindo em seu notebook (infelizmente não foi possível assistirmos na TV do quarto, a mesma não havia a Netflix instalada e também não nos forneceram cabo HDMI).
 
Ao término do filme transamos de novo, mas não vou me estender nos detalhes pois, além de ter sido muito parecida com a primeira transa de quando chegamos (com exceção que desta vez ele não gozou), esse post também já ficou bastante extenso e não quero cansá-los (mais) rs. Então… até o segundo dia da viagem!
 
Praia da Enseada, Guarujá